Tamanho do texto

Atual governador é acusado de onerar o Estado em R$ 2,9 milhões com a instalação de uma nova iluminação para a Olimpíada dois anos depois da conclusão das reformas do estádio estatal para a Copa do Mundo de 2014

Luiz Fernando Pezão é acusado de improbidade administrativa nas obras do Maracanã
Tomaz Silva / Agência Brasil
Luiz Fernando Pezão é acusado de improbidade administrativa nas obras do Maracanã


Atual governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB) foi denunciado por improbidade administrativa no período em que foi secretário de Obras do governo de Sérgio Cabral. De acordo com a ação civil pública, o político é responsável por um prejuízo de R$ 2,9 milhões nas obras de reforma do estádio do Maracanã.

Leia também: Pezão recebia mesada de R$ 150 mil, 13º e bônus propina, diz delator

O Maracanã começou a ser reformado em agosto de 2010 visando a realização da Copa do Mundo do Brasil de 2014. Programada para ser concluída em dois anos, só foi plenamente terminada meses antes do Mundial. O estádio foi palco da final da competição.

A previsão inicial era de que a obra custasse R$ 705,6 milhões, mas ao final, foram necessários R$ 859,8 milhões para a conclusão. Desse valor, R$ 400 milhões foram financiados pelo BNDES e o restante atingiu os cofres do estado do Rio de Janeiro.

Segundo a denúncia, Pezão , como secretário de Obras, não poderia permitir que em apenas dois anos, o Maracanã voltasse a apresentar problemas e precisar de uma nova reforma para sediar jogos e eventos da Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016. No total, o estado gastou R$ 2,9 milhões para a instalação de uma nova iluminação no estádio, o que, segundo o Ministério Público, poderia ter sido evitado.

Leia também: Homem forte de Pezão delata governador, Cabral e pré-candidatos

No pedido à Justiça, o MP pede R$ 8 milhões de bloqueio de bens do governador Pezão até que o caso se já julgado. Se condenado, o político vai se enquadrar na lei da ficha suja e ficará inelegível por oito anos.

De acordo com o Gaecc (Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção), como secretário de Obras,  Pezão foi alertado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) de que o COI (Comitê Olímpico Internacional) precisava ser consultado antes da reforma para a Copa, para já indicar o que precisava ser instalado visando os Jogos Olímpicos. O atual governador, entretanto, nada fez.

O MP ainda esclarece que o novo sistema de iluminação do Maracanã é idêntico ao utilizado durante a Copa e que, portanto, foi feito de forma equivocada ou por má fé, contribuindo para que o estado do Rio de Janeiro fosse onerado em R$ 2,9 milhões sem necessidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.