Tamanho do texto

O futuro presidente do Brasil ainda não definiu os nomes daqueles que vão comandar a Marinha, o Exército e a Aeronáutica durante o seu governo

Jair Bolsonaro tomará posse no Planalto em janeiro; antes, presidente eleito passará por cirurgia
José Cruz/Agência Brasil - 7.11.18
Jair Bolsonaro tomará posse no Planalto em janeiro; antes, presidente eleito passará por cirurgia

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), se encontrou na manhã desta sexta-feira (16), para um café da manhã, com o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, no Primeiro Distrito Naval, no centro do Rio de Janeiro. O futuro presidente chegou à reunião por volta das 8h30.

Leia também: Dr. Rey se diz "humilhado" e lamenta ter ficado de fora do governo Bolsonaro

Essa já é a segunda vez que Jair Bolsonaro se encontra com o comandante, desde que foi leito o futuro presidente do Brasil. A primeira reunião entre o presidente eleito e o comandante da Marinha ocorreu no último dia 6, na primeira visita de Bolsonaro a Brasília depois da eleição.

Por enquanto, o presidente eleito ainda não definiu quais serão os nomes para os comandos da Marinha , do Exército e da Aeronáutica durante o seu governo. 

Leia também: Eunício ‘faz as pazes’ e pedirá urgência em projeto que agrada Paulo Guedes

Até agora, o presidente eleito divulgou três nomes de militares para a sua gestão, um para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), outro para o Ministério da Defesa e o terceiro para a pasta da Ciência e Tecnologia. Ele tem defendido que as Forças Armadas terão lugar de 'destaque' no seu governo.

O general da reserva Augusto Heleno assumirá o GSI, vinculado à Presidência da República. O general Fernando Azevedo e Silva, que atuou como assessor do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, ficará com a Defesa. Já na pasta de Ciência e Tecnologia, vai ficar o astronauta e tenente-coronel da reserva Marcos Pontes. Os três nomes já confirmaram ter aceitado as propostas do presidente eleito.

Leia também: Bolsonaro fará pente-fino no BB e na Caixa para cortar apadrinhados pelo PT

"As Forças Armadas são as guardiãs da nossa Constituição. As Forças Armadas ocuparão lugar de destaque e voltarão a fazer parte da mesa ministerial, mesmo na informalidade, se for o caso", disse Jair Bolsonaro , durante a primeira reunião que teve com o comandante da Marinha, no início deste mês. 

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.