Tamanho do texto

Ex-procurador-geral da República afirmou que, apesar de ter sua atuação no Ministério Público questionada, não ignoraria "discursos de intolerância"

Na publicação no Twitter, Rodrigo Janot disse que houve
Jefferson Rudy/Agência Senado
Na publicação no Twitter, Rodrigo Janot disse que houve "muita especulação" sobre um suposto interesse eleitoreiro em sua atuação profissional, mas "nada se comprovou"

Neste sábado (27), em sua conta no Twitter, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot declarou que votará, "por exclusão", em Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições deste domingo (28).

Leia também: Apoio de Ciro Gomes continua indefinido mesmo após retorno ao Brasil

Na publicação, Rodrigo Janot disse que houve "muita especulação" sobre um suposto interesse eleitoreiro em sua atuação profissional, mas "nada se comprovou". Janot ainda afirmou que não poderia ignorar discursos de intolerância e, por isso, votaria em Haddad.



Janot ficou à frente do Ministério Público Federal (MPF) entre 2013 e 2017, sendo substituído pela atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Mais cedo, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa , considerado o algoz petista no julgamento do caso do Mensalão, também declarou voto em Haddad.

Leia também: Bolsonaro tem 55% e Haddad, 45%, diz pesquisa Datafolha

"Votar é fazer uma escolha racional", escreveu Barbosa. "Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad", completou.