Com a extensão do período de prisão do irmão de Beto Richa, cerco se fecha em torno do tucano
Marcelo Camargo/ABr
Com a extensão do período de prisão do irmão de Beto Richa, cerco se fecha em torno do tucano

O ex-secretário de estado do Paraná Pepe Richa, irmão de Beto Richa, ex-governador do estado, teve a prisão temporária convertida em preventiva na noite deste sábado (29). Com a decisão, Pepe Richa ficará detido por tempo indeterminado.

Leia também: Ex-governador do Paraná e candidato ao Senado, Beto Richa é preso em Curitiba

Pela decisão do juiz federal substituto Paulo Sergio Ribeiro, da 23ª Vara Federal em Curitiba, mais quatro acusados na Operação Integração 2, além do irmão de Beto Richa , tiveram a prisão temporária convertida em preventiva: Ivano Abdo, Elias Abdo Filho, Evandro Couto Vianna e Cláudio José Machado Soares.

O primo de Beto Richa já havia sido preso no dia 11 de setembro, durante a Operação Rádio Patrulha, que investiga a atuação de uma suposta organização criminosa durante o governo do ex-governador. Porém, tanto Antoun quanto Richa – que também havia sido detido na operação – foram soltos por decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, no dia 14 de setembro.

A nova decisão de Curitiba prorrogou ainda em mais cinco dias a prisão temporária de três investigados na operação, que investiga denúncias de corrupção em contratos de pedágio de rodovias do Paraná concedidas à iniciativa privada: José Julião Terbai Jr., José Camilo Teixeira Carvalho e Ruy Sergio Giublin.

Leia também: Gilmar Mendes manda soltar Beto Richa, ex-governador do Paraná

Você viu?

De acordo com o magistrado, a libertação imediata poderia acarretar o risco de destruição de provas. No mesmo despacho, o juiz mandou soltar três investigados por não os considerar protagonistas no esquema.

A Operação Integração faz parte da 55ª fase da Lava Jato. Na última quarta-feira (26), a Polícia Federal prendeu Pepe Richa e mais 14 investigados e cumpriu 73 mandados de busca e apreensão.

Os investigadores buscam apurar um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, estelionato e peculato, relacionado à administração de rodovias federais localizadas no Paraná, que fazem parte do chamado Anel da Integração.

Além do irmão de Beto Richa , outro dos alvos da operação, o empresário Luiz Abi Antoun, primo do ex-governador, teve o pedido de prisão temporária revogado. Ele não chegou a ser detido porque está em viagem ao exterior.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Irmão e primo de Beto Richa são alvos de nova fase da Lava Jato no PR

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários