Os nomes dos candidatos a presidente e a vice têm que ser aprovados nas convenções até 5 de agosto
Nelson Jr./ ASICS/ TSE
Os nomes dos candidatos a presidente e a vice têm que ser aprovados nas convenções até 5 de agosto

Começa, nesta sexta-feira (20), a esperada agenda de convenções nacionais, onde os partidos deverão decidir e divulgar quais os nomes definitivos dos seus candidatos a presidente e vice nas eleições de outubro deste ano. Tais candidatos devem ser lançados até o dia 5 de agosto.

Por enquanto, já estão cogitados 18 pré-candidatos, sendo que esse número já foi superior a 20, dado que alguns desistiram no meio do caminho e outros foram barrados pelos próprios partidos políticos. Com a realização das convenções nacionais, o total de candidatos a presidente pode ser ainda menor. Afinal, alguns partidos – como DEM, Solidariedade e PCdoB – são provocados a desistir da própria candidatura para apoiarem chapas mais competitivas.

A temporada de convenções partidárias será aberta, amanhã, pelo PDT e o PSC. Os convencionais do PDT se reunirão na sede do partido, em Brasília, e devem confirmar o nome de Ciro Gomes como candidato a presidente. Já o candidato do PSC será Paulo Rabello de Castro, que será lançado também em Brasília.  No Rio de Janeiro, ainda hoje, será realizada a convenção do PCB.

O cenário das coligações ainda permanece indefinido, mas isso precisa ser aprovado e registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o dia 15 de agosto.

Fim de semana de convenções lançará candidatos a presidente

Ainda neste fim de semana, outros quatro partidos políticos realizarão convenções nacionais. Neste sábado (21), o Psol, o PMN e o Avante vão se reunir. O Psol já anunciou que vai aprovar a candidatura de Guilherme Boulos, com Sônia Guajajara de vice.

O PSL, por sua vez, se reunirá domingo (22), no Rio de Janeiro, e deverá confirmar a candidatura do deputado Jair Bolsonaro, que ainda não tem um nome de vice definido. Confira a lista de datas e locais onde as próximas convenções irão acontecer:

No próximo sábado (28), é dia do PTB e do PV realizarem convenções nacionais. Os dois partidos não devem lançar candidatura própria a presidente da República, mas definirão nesses encontros suas políticas de alianças. O PSB se reunirá no dia 30 de julho e também não terá candidato próprio.

A maioria das convenções se concentrará entre os dias 1º e 5 de agosto. Até o momento, 11 partidos anunciaram que vão se reunir nesse período, incluindo o MDB, o PT, o PSDB e a Rede. 

Você viu?

Eleições ainda cercadas de indefinições 

A indefinição encontrada até agora nas eleições de 2018 pode ser explicada por diversos fatores, segundo aponta o cientista político Leonardo Barreto à Agência Brasil . Para ele, o fato de o Palácio do Planalto não estar influenciando o processo eleitoral é um dos principais.

Leia também: Rosa Weber rejeita pedido do MBL para declarar Lula inelegível

“Quando o Executivo está forte, tentando a reeleição ou trazer o sucessor, a tendência é que a coligação governista seja reproduzida, a oposição se organize e até surja a terceira via. Neste ano, o governo não tem um candidato forte nem colocou peso no candidato da oposição. Isso levou à pulverização de candidaturas”, defendeu.

Mas, o cenário apresentado hoje conta com diversos candidatos possíveis – e nenhum que tenha empolgado nem se apresentado como favorito, o que acaba criando impasses para que as siglas se posicionem, afinal, todos querem apostar em alguém com chances de vitória, tendo papel claro de como poderão exercer poder no futuro governo.

Ainda de acordo com Barreto, com a realização das convenções nacionais , as articulações políticas para formação das alianças nacionais deverão se afunilar, com vantagem óbvia de partidos maiores que, claro, têm “mais meios de troca”.

Leia também: “Querem me derrotar? Façam isso nas urnas”, escreve Lula em jornal

Vale lembrar que as negociações levam em conta também o tempo de televisão que pode ser agregado nas disputas estaduais, os recursos para financiamento das campanhas de candidato a presidente , as bancadas de deputados federais e estaduais e o total de prefeitos, que são cabos eleitorais decisivos nas eleições de 2018.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários