Tamanho do texto

Reajuste de 5,67% contraria a área econômica do governo; pronunciamento foi divulgado nas redes sociais e presidente não menciona valores; discurso será transmitido em rede nacional às 20h30

Presidente Michel Temer anuncia, nesta segunda-feira (30), reajuste no Bolsa Família, mas não menciona valores
Beto Barata/PR
Presidente Michel Temer anuncia, nesta segunda-feira (30), reajuste no Bolsa Família, mas não menciona valores

O presidente Michel Temer (MDB) vai antecipar o pronunciamento que faria na quarta-feira (1º), pelo Dia do Trabalho. O discurso será transmitido nesta terça-feira (30), para todo o Brasil em rádios e emissoras de televisão, às 20h30, mas já está disponível nas redes sociais do presidente. No vídeo, Temer anuncia a aprovação do reajuste para os beneficiários do Bolsa Família, mas não menciona valores. Veja a postagem:

Leia também: Temer adia viagem à Ásia com avanço das investigações de decreto dos portos





O percentual do reacerto será de 5,67%, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social. Com a alteração, o pagamento passará de R$ 177,71 para uma quantia estimada de R$ 187,79.

A área econômica do governo não estava de acordo com o valor, e preferia que a o reajuste agisse apenas como reposição da inflação de 2017, que seria de 2,95%. No entanto, Temer acatou o que a ala política defendia, que era um percentual maior.

Agora, com o aumento real aos beneficiários do Bolsa Família , técnicos da área econômica deverão trabalhar em cálculos para ajustar o custo do reajuste dentro do Orçamento deste ano.

A maior dificuldade em ter um reajuste maior do que a inflação será o impacto que o valor terá sobre as despesas do governo, que já estão sob bloqueio por conta da possibilidade de frustração de receitas com a privatização da Eletrobrás e também a limitação do teto de gastos.

Leia também: Por meio de carta, Lula acusa Moro de ignorar decisão do STF: "Fiquei perplexo"

Discurso

O último reajuste do programa foi em junho de 2016 no percentual de 12,5%. Ao tomar posse, no início de abril, o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, informou que o governo discutia conceder um reajuste maior do que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é de 2,95%.

É uma tradição que o presidente da República fale à nação no dia 1º de maio. Em seu último pronunciamento, por ocasião do Dia da Inconfidência, Temer defendeu seu governo e citou algumas de suas ações. Dentre elas, a redução dos juros básicos da economia e da inflação, e a proposta do governo de aumentar o salário mínimo para R$ 1.002. O presidente também fez críticas àqueles que, segundo ele, tentam “bater bumbo” pelo fracasso do país.

Leia também: Reajuste do Bolsa Família vai 'reincluir' beneficiários na sociedade, diz Temer

*Com informações da Agência Brasil