“Seria melhor para o país” se Lula participasse de eleições, diz Temer

Presidente afirma que Lula não está morto politicamente e que sua imagem e discurso estarão presentes nas eleições de outubro
Foto: Larissa Pereira/iG São Paulo
Manifestação em apoio ao ex-presidente Lula

O presidente Michel Temer disse, nesta segunda-feira (29), que mesmo se Lula for impedido de se candidatar nas eleições de outubro, o ex-presidente petista não estará morto politicamente. A entrevista foi concedida à rádio Bandeirantes .

Leia também: STJ nega pedido preventivo de liberdade em favor de ex-presidente Lula

Temer ponderou que o carisma, a imagem e o discurso de Lula formarão parte do ambiente eleitoral neste ano independentemente das consequências da Lei da Ficha Limpa . Se não sustentados pelo próprio ex-presidente, por algum candidato do PT apoiado por ele, ou mesmo por alguém de fora do partido identificado com as bandeiras petistas.

“Não é sem razão que ele ocupa uma das primeiras posições nas pesquisas de opinião”, disse Temer.

Ex-aliado do PT , Temer também opinou que o impedimento da candidatura do ex-presidente pela Justiça poderá causar tensão no país.

“A sua não participação tensiona o país e temos de distencionar as relações. Eu, pessoalmente, acharia, sobre o foco político, que se ele participasse e fosse derrotado, seria melhor para o país”, analisou.

Durante a entrevista, Temer voltou a afirmar que gostaria de apoiar algum candidato que defenda as reformas econômicas de seu governo. Ele acrescentou, ainda, que usará o tempo que lhe resta no Planalto para fazer uma “defesa moral” de sua gestão.

Leia também: "Eles sabem que condenaram um inocente": Lula ao ser lançado como pré-candidato

A fala do presidente vem na esteira da confirmação, em segunda instância, da condenação de Lula na ação penal envolvendo o tríplex no Guarujá (SP). O tribunal aumentou a pena do ex-presidente para 12 anos e um mês de prisão.

Na decisão, seguindo entendimento do STF, os desembargadores entenderam que a execução da pena deve começar após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça Federal. Isso quer dizer que, nos próximos meses, o ex-presidente pode ter a sua prisão declarada.

Como foi condenado por um órgão colegiado, também, o Lula pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, sendo impedido de se candidatar nas eleições deste ano.

Leia também: Advogado entrega passaporte de Lula à PF e diz que ex-presidente está "sereno"

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-01-29/lula-nao-esta-morto-politicamente-diz-temer.html