Líder do governo no Senado, Romero Jucá é denunciado na Operação Zelotes

Processo tramita em sigilo no STF sob relatoria de Lewandowski, presidente nacional do PMDB e ex-ministro de Temer é alvo de inquérito que apura suposta atuação de Jucá para aprovar MPs que beneficiavam empresas
Foto: Pedro França/Agência Senado - 6.8.2014
Romero Jucá deixou Planejamento uma semana após assumir o cargo; hoje, ele é líder do governo no Senado

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) no âmbito da Operação Zelotes , que apura pagamentos de propina a agentes públicos em troca da manipulação de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tramita sob sigilo no Supremo Tribunal Federal (STF), portanto ainda não há informações sobre a qual crime Romero Jucá está sendo acusado de cometer.

O relator dos processos da Operação Zelotes no Supremo é o ministro Ricardo Lewandowski, que decidirá se leva, ou não, a denúncia para análise na Segumda Turma da Corte. O colegiado é formado por cinco ministros e será responsável por decidir se Jucá se tornará réu em ação penal da Zelotes.

Presidente nacional do PMDB, Jucá é homem de confiança do presidente Michel Temer e foi ministro de Planejamento do atual governo. Ele deixou o cargo pouco mais de uma semana após ser nomeado devido ao escândalo desencadeado pela gravação de uma conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. O diálogo significou o primeiro escândalo político do governo Temer e ficou marcado pelas frases em que Jucá sugere um "grande acordo nacional" para "estancar a sangria" das investigações da Operação Lava Jato.

Em abril deste ano, quando o ministro do STF Edson Fachin autorizou a abertura de dezenas de inquéritos na chamada 'lista de Fachin', Jucá foi, ao lado do senador Aécio Neves (PSDB-MG), o político com maior número de pedidos de investigação : cinco.

Leia também: Força-tarefa da Zelotes fecha 1º acordo de delação com ex-conselheiro do Carf

Operação Zelotes

As investigações acerca da manipulação de julgamentos para favorecer empresas que recorriam ao Carf tiveram início em março de 2015. Os trabalhos da força-tarefa da Zelotes já renderam 16 ações penais, além de quatro processos por improbidade.

Segundo o MPF, a operação inclui ainda outros quatro inquéritos em andamento, o que poderá gerar novas ações judiciais. Ao todo, 92 pessoas já foram denunciadas, desde novembro de 2015.

Romero Jucá se tornou alvo de um inquérito da Operação Zelotes no Supremo em novembro do ano passado. As suspeitas divulgadas à época davam conta de que o senador teria atuado para alterar medidas provisórias que beneficiariam empresas com multas a serem julgadas pelo Carf.

Leia também: Votar impeachment de Temer traria instabilidade política ao País, diz Maia

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-08-21/romero-juca.html