Tamanho do texto

Após decisão de Sérgio Moro, Lula é condenado à prisão e manifestantes vão às ruas; movimentos políticos e partidos prometem mais atos em breve

Manifestações contra e a favor de Lula ficaram mais concentradas no estado de São Paulo
Divulgação
Manifestações contra e a favor de Lula ficaram mais concentradas no estado de São Paulo

Após a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão , grupos de favoráveis e contrários ao petista se reuniram no fim da tarde desta quarta-feira (12) na Avenida Paulista, em São Paulo.

Leia também: “Não traz qualquer satisfação pessoal”, afirma Moro em sentença de Lula

Até o momento, não foi divulgada estimativas de quantas pessoas estavam em ambas manifestações , nem por parte das organizações e nem pela Polícia Militar. Ocupando a mesma região, a PM estava no local para evitar que os dois grupos se encontrassem.

O ato pró-Lula começou mais cedo. Reunidos em frente ao vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), os militantes começaram a chegar depois das 17h, horário marcado pelo Partido dos Trabalhadores – que estava representado por lideranças políticas no local - para o manifesto, por meio das redes sociais.

Os gritos de palavras de ordem que defendiam o petista e criticavam a condenação sentenciada pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância, se misturavam com o som de instrumentos de percussão. Cartazes e bandeiras vermelhas e com as siglas do PT faziam parte do protesto.

De acordo com um dos organizadores do ato, Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), novas manifestações de apoio ao ex-presidente serão marcadas em outras cidades nos próximos dias.

Leia também: Entenda o caso tríplex e os demais processos em que Lula é réu

Oposição

Já os manifestantes que comemoravam a condenação de Lula passaram a ocupar as ruas no início da noite em menor número, se concentrando em frente ao prédio da Fiesp, a um quarteirão do grupo que defendia o ex-presidente.

Munidos de bandeiras do Brasil, faixas que defendiam a Operação Lava Jato, e bonecos de Moro vestido como super-herói e Lula de presidiário, os manifestantes pediam para que os motoristas que passavam pela pista sentido Paraíso buzinassem a favor da sentença do petista.

Outros estados

Em Curitiba, manifestantes também realizaram um ato em prol da decisão do juiz federal. Com início por volta das 18h, o grupo está reunido em frente à Justiça Federal com a presença de participantes dos movimentos Vem pra Rua, Curitiba Contra a Corrupção e Movimento Brasil Livre participam.

De acordo com as redes sociais do PT, o partido também convocou atos em solidariedade ao ex-presidente nesta tarde em Brasília, no Distrito Federal e em Salvador, Bahia.

Condenação

A condenação do ex-presidente Lula foi proferida por Moro nesta quarta-feira, em relação ao processo que envolve a compra de um apartamento tríplex no Guarujá, localizado no litoral paulista.

No entanto, a sentença não determina a prisão imediata do sindicalista, permitindo que sua defesa recorre enquanto ele ainda estiver em liberdade. “[...] Considerando que a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação. Assim, poderá o ex-Presidente apresentar a sua apelação em liberdade", diz o texto de Moro.

Já o processo que envolvia acusações de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por conta do armazenamento do acervo presidencial que teria sido financiado pela OAS não foi levado adiante por falta de provas e Lula foi absolvido.

Em relação à decisão do juiz federal, a defesa de Lula também fez manifestações à imprensa, afirmando que a atitude de Moro “envergonhou o Brasil” e que o julgamento foi “politicamente e tendencioso”.

Leia também: Condenação de Lula é comemorada por opositores nas redes sociais

    Leia tudo sobre: Lula