Tamanho do texto

Ex-presidente petista e empresário são testemunhas de defesa do deputado cassado e do doleiro, respectivamente; ambos falarão por videoconferência

Lula e Marcelo Odebrecht foram arrolados como testemunhas de defesa do deputado cassado e do doleiro
Reprodução/Youtube
Lula e Marcelo Odebrecht foram arrolados como testemunhas de defesa do deputado cassado e do doleiro

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o empreiteiro Marcelo Odebrecht vão prestar depoimento, nesta terça-feira (4), à Justiça Federal de Brasília, como testemunhas de defesa na ação penal que investiga irregularidades no Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal.

Leia também: Veja tudo sobre o ex-presidente Lula no iG

O depoimento de Lula faz parte da defesa do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Odebrecht será testemunha de defesa do doleiro Lúcio Funaro. Ambos os depoimentos serão colhidos por meio de videoconferência.

O ex-presidente falará com o juiz Vallisney de Souza Oliveira, responsável pelos processos da Operação Sépsis na primeira instância, na seccional da Justiça Federal de São Paulo. Já Odebrecht, que está preso em Curitiba pela Lava Jato, vair depor ao magistrado de Brasília na seccional da Justiça Federal no Paraná. As conversas devem ocorrer a partir das 14h30.

Além de Cunha e Funaro, o ex-presidente da Câmara e ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) – que está detido em Natal – é outro réu da mesma ação penal.

Eles são suspeitos de terem cobrado propina de empresários para liberar empréstimos com juros reduzidos por meio do fundo de investimentos, que é abastecido com o dinheiro dos trabalhadores brasileiros.

Leia também: Lula pede eleição antecipada e Dilma diz que Temer denunciado é saldo do "golpe"

Para a Polícia Federal, tais operações do FI-FGTS gararam R$ 20 milhões em propina para políticos peemedebistas. Funaro é acusado de ser o operador de Cunha.

Testemunhas do petista

Nesta segunda-feira (3), o juz federal Sérgio Moro ouviu testemunhas de defesa do ex-presidente da República, referentes ao processo em que o petista é acusado de receber um terreno e um apartamento como pagamento de propina.

O ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a ex-ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o empresário Jorge Gerdau Johannpeter foram ouvidos por Moro, por meio de videoconferência.

Leia também: "Quase certeza absoluta", diz Temer sobre rejeição de denúncia na Câmara

Neste processo, Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Além do ex-presidente, há outros sete réus. A ex-primeira dama Marisa Letícia também havia sido acusada, mas faleceu no início do ano.

    Leia tudo sobre: lula eduardo cunha

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.