Tamanho do texto

Após desferir um dos mais duros golpes que a política e a economia brasileira já levaram, empresário e dono da JBS parece estar deixando o País de vez

Iate de Joesley Batista avaliado em R$ 30 milhões
Divulgação
Iate de Joesley Batista avaliado em R$ 30 milhões

A expressão 'abandonar o barco' poderia muito bem ser usada para ilustrar todo o caso que envolve a delação premiada dos irmãos Joesley Batista e Wesley. Os empresários e donos da maior processadora de carnes do mundo deixaram a bomba no Brasil e agora estão tranquilos vivendo nos Estados Unidos.

Leia também: Joesley Batista comprou a justiça de novo?

Mas parece que nem o barco Joesley Batista vai deixar para contar história. Durante a noite desta segunda-feira, o iate "Why Not" avaliado em R$ 30 milhões do empresário foi colocado em um navio cargueiro no Porto de Itajaí e dali partiria para Miami.

Isso é mais uma prova do total descaso do delator com a nação que ele deixa para trás de vez. Não bastasse o golpe no mercado financeiro, lucrando em operações de câmbio e com ações na bolsa, usando as informações privilegiadas sobre os próprios crimes que cometeu. Parece que agora, até os pedidos de desculpas de Joesley soam em todo de brincadeira.

As imagens do transporte do iate de luxo simbolizam mais, elas mostram de forma explícita o presente que a Procuradoria-Geral da República e Supremo Tribunal Federal deram para Joesley ao aceitar o acordo com o empresário. Um verdadeiro tapa na cara dos brasileiros.

O iate de luxo de Joesley Batista ruma para Miami, nos Estados Unidos
Divulgação
O iate de luxo de Joesley Batista ruma para Miami, nos Estados Unidos


Um dos barcos mais admirados

O iate "Why Not" do empresário Joesley Batista é hoje um dos mais admirados do País. A máquina que vale cerca de 30 milhões de reais e mede 30,4 metros causou furor ao ser apresentado no evento Rio Boat Show no ano passado. Os visitantes só puderam observá-lo de longe, à exceção de alguns poucos selecionados.

Joesley Batista comprou a justiça de novo?

Um dos mais conceituados peritos do País jogou por terra a veracidade dos áudios da conversa envolvendo o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer. Ricardo Molina afirmou que a gravação é "imprestável" como prova em uma investigação.

Contratado pela defesa de Temer para analisar o áudio entregue na delação premiada de Joesley Batista e objeto de um inquérito já aberto contra o presidente, Molina apontou “inúmeras descontinuidades, mascaramentos por ruído, longos trechos ininteligíveis ou de inteligibilidade duvidosa”.

Leia também: Sem pudor, Joesley Batista pede desculpas à nação após tentar derrubar Temer


Durante as gravações com o presidente, Joesley afirma que comprou um procurador de justiça e também dois juízes que atuavam em operações que envolviam suas empresas. Agora, com a revelação de que os áudios estão corrompidos e que foram feitos por um gravador muito barato, a suspeita é de que Joesley pode ter ido mais longe e feito o mesmo com o Ministério Público para conseguir escapar ileso, sem nenhuma punição.

Sem pudor, Joesley Batista pede desculpas

Quanto vale a sua liberdade? Você derrubaria uma nação para sair ileso de um crime do colarinho branco? Provavelmente não. Mas não foi assim que tentou e conseguiu agir o empresário e dono da JBS, Joesley Batista.

Em tentativa desesperada e quase criminosa de livrar a própria pele, Joesley Batista fez tudo que podia e não podia para escapar das grades e da falência. O empresário chegou ao ponto de comprar um Procurador de Justiça, gravar clandestinamente conversas com o Presidente da República e jorrar propina para mais de mil políticos da sua própria nação.

A primeira vista a ação criminosa saiu como o esperado. Joesley garantiu para si, para sua empresa e para seu irmão Wesley tudo aquilo que outros gigantes envolvidos na Lava Jato não conseguiram. Enquanto, por exemplo, Marcelo Odebrecht mofa em uma cela da Polícia Federal e vê suas empresas naufragarem, Joesley brinda a vida nos Estados Unidos e tem suas empresas protegidas de maiores estragos.

Leia também: Leia também: JBS custeou campanhas de 1.829 candidatos de 28 partidos políticos

Ou seja, como é possível que o empresário praticamente venda uma nação em troca de benefício próprio e depois venha com uma desculpa esfarrapada para tentar diminuir sua culpa. Impossível! Joesley devia ter pensado isso quando irrigava propinas por todos os cantos do País para conseguir seu enriquecimento ilícito. Agora soa como uma piada esse pedido de desculpas. Joesley está em seu apartamento de luxo nos Estados Unidos, sem tornozeleira, empresas funcionando a todo vapor e quem sabe até sem peso na consciência, afinal ele pediu desculpas. Isso basta para você?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.