Tamanho do texto

Mais de 340 ônibus circulam de maneira irregular; situação vem se agravando a cada gestão e prefeito não pode ficar de braços cruzados

Negligente, Doria  coloca vida da população de bairros mais carentes em risco ao permitir que ônibus circulem ilegalmente
Rovena Rosa/Agência Brasil - 10.1.2017
Negligente, Doria coloca vida da população de bairros mais carentes em risco ao permitir que ônibus circulem ilegalmente

Um levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM-SP) apontou que pelo menos 340 ônibus estão funcionando com idade acima da permitida em contrato. A denúncia sobre o sucateamento da frota na capital paulista foi feita na segunda edição do programa “SPTV”, da TV Globo, no final da tarde desta terça-feira (9).

Leia também: Doria perde a batalha para a Cracolândia

O contrato da SPTrans com os consórcios que operam as linhas indica que ônibus com mais de dez anos não podem circular. As irregularidades não podem passar em branco, o prefeito João Doria (PSDB) precisa mostrar o seu tão famoso lado gestor e solucionar a situação. O tucano não pode cair na mesmice dos governos anteriores e fazer vista grossa para o problema que é claro e só aumenta com o passar dos anos.

A falta de fiscalização fica ainda maior quando se trata de áreas mais afastadas do centro. Em bairros mais carentes, principalmente os localizados nas zonas norte e oeste, foi possível perceber a diferença entre os transportes, muito mais defasados na periferia. Ônibus com quase 15 anos foram flagrados circulando pela cidade normalmente, de maneira ilegal, ultrapassando os 10 anos limites.

O sucateamento dos veículos resulta em amortecedores gastos, bancos quebrados, avarias mecânicas e elétricas e outras características que a extensão do tempo de vida da frota pode causar, influenciando na segurança da população e colocando a vida dos passageiros em risco.

Leia também: Doria institui cobrança adicional em terminal de ônibus na zona leste de SP

Para resolver o problema, é necessário que a prefeitura passe a fiscalizar e cobrar mais duramente as partes competentes, pressionando para que os itens exigidos em edital sejam rigorosamente cumpridos, sob pena de multa e até rompimento do contrato.

Doria perde batalha na Cracolândia

O desrespeito com o cidadão não para por aí. Ao ser eleito pelos paulistanos, em 2016, o gestor havia prometido, entre outras tantas mudanças, revitalizar a região da Cracolândia, que fica no centro da cidade e, há anos, foi ocupada pelo tráfico de drogas.

Há mais de cinco meses no mandato, o tucano que tanto criticou o programa social do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) que cobria aquela região, “De Braços Abertos” – e acabou levando o apelido de “Bolsa Crack” segundo Doria e outros opositores -, ainda não demonstrou nenhuma ação para melhorar o cenário, que continua dominado por traficantes e usuários de drogas.

Leia também: Acordem mais cedo, vagabundos, diz Doria após tentativa de bloqueio à prefeitura

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.