Tamanho do texto

Peemedebista recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês, em SP, na noite desta quinta-feira (4); presidente do Senado chegou a passar um dia na UTI

Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomará atividades na segunda-feira
Pedro França/Agência Senado - 30.3.17
Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomará atividades na segunda-feira

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), deixou o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na noite desta quinta-feira (4) e já poderá reassumir suas funções na próxima segunda-feira (8). Ele havia sido internado inicialmente na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Santa Lúcia, em Brasília, após sofrer um desmaio na madrugada da quarta-feira passada  (27).

Eunício Oliveira deu entrada no Sírio-Libanês no último domingo (30) para "avaliação clínica e exames complementares". Segundo boletim divulgado pelo hospital, o senador apresenta "bom estado geral", podendo retornar suas atividades normais na próxima semana. "Ele continuará em seguimento ambulatorial", informam os médicos Kalil Filho, Paulo Hoff, David Uip, Ana Hoff e Eduardo Mutareli.

O peemedebista sofreu desmaio na semana passada e foi inicialmente atendido na Clínica Daher, sendo posteriormente transferido ao Hospital Santa Lúcia , ambos em Brasília.

Inicialmente, acreditava-se que Eunício havia sofrido um acidente vascular cerebral (AVC), mas essa possibilidade foi posteriormente afastada após exames. Também foi eliminada a hipótese de encefalite viral.

Leia também: Texto da reforma da Previdência não sofrerá novas alterações, diz relator

Abuso de autoridade e foro privilegiado

Eunício Lopes de Oliveira tem 64 anos de idade e é senador pelo Ceará desde 2011. Ele foi escolhido em fevereiro deste ano para substituir Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado Federal.

A internação de Eunício se deu horas após os senadores aprovarem, na quarta-feira (26), o projeto de lei que versa sobre a definição de crimes de abuso de autoridade  e a PEC que extingue a prerrogativa do foro privilegiado .

Após as votações, o peemedebista chegou a afirmar que aquele era um "dia histórico para o Senado". " Acabamos com o injustificável privilégio do foro por prerrogativa de função, atendendo ao clamor popular que nos reclamava isso há anos. Ao mesmo tempo, regulamos o combate ao abuso de autoridade, uma excrescência que afeta o cidadão diariamente, da 'carteirada' na fila do cinema à prisão injusta; dos maus-tratos na delegacia ao vazamento criminoso de informações sigilosas, declarou Eunício.

O projeto sobre abuso de autoridade vai agora para análise da Câmara dos Deputados. Já a PEC do foro privilegiado segue na pauta do Senado para passar por três sessões de discussão antes da votação em segundo turno, a ser agendado por Eunício Oliveira.

Leia também: Disposto a colaborar, Renato Duque depõe hoje; Lula vê "pressa" por delações

*Com informações da Agência Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.