Tamanho do texto

Prefeito eleito do Rio voltou a falar nesta quarta-feira (28) sobre austeridade e cortes de gastos em seu governo, que inicia na próxima semana; veja

Crivella afirmou que existe uma “crise grave, de R$ 4 bilhões de deficit nesse novo orçamento
Agência Brasil
Crivella afirmou que existe uma “crise grave, de R$ 4 bilhões de deficit nesse novo orçamento

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, voltou a falar nesta quarta-feira (28) sobre austeridade, deficit e corte de gastos em seu governo, que começa na próxima semana. Crivella visitou nesta manhã o Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte da cidade.

LEIA MAIS:  2016 foi realmente um ano difícil para a democracia?

Durante a visita, Crivella afirmou que existe uma “crise grave, de R$ 4 bilhões de deficit nesse novo orçamento”, destacando que seu governo deve precisar “da compreensão e do sacrifício de todos”. Ainda segundo o prefeito eleito, não haverá possibilidades para investimentos.

“Neste momento temos que pensar em diminuir essa fila do Sisreg [sistema que regula atendimentos do SUS], e é nisso que estamos trabalhando", disse.

LEIA MAIS:  Cármen Lúcia nega pedido para antecipar repasses da repatriação aos municípios

De acordo com o futuro prefeito do Rio, existe uma previsão da Secretaria da Fazenda do município de que as despesas da cidade cheguem até R$ 29 bilhões e, ainda, é esperado que a arrecadação despenque. Além disso, defendeu que haja a redução de secretarias –que passariam a ser 12 –, o que, consequentemente, cortaria ao menos pela metade o número de cargos de livre indicação na prefeitura.

O prefeito eleito ainda afirmou durante a visita ao hospital que seu governo deverá renegociar os empréstimos feitos com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal. Segundo ele, a prefeitura adquiriu R$ 10 bilhões em empréstimos nos últimos oito anos, e as duas instituições são as maiores credoras.

LEIA TAMBÉM:  Eleição de Crivella não prenuncia novas vitórias evangélicas, dizem analistas

Aos jornalistas, Marcelo Crivella evitou comentar sobre o reajuste das passagens de ônibus municipais e disse que só poderá responder a perguntas sobre o tema "a partir do dia 2". A posse do novo prefeito acontecerá neste domingo (1º). Ainda nesta quarta-feira, ele participa ainda de um almoço com o atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Pagamentos dos servidores

Após não conseguir cumprir o calendário de pagamento dos salários atrasados dos servidores estaduais, divulgado no último sábado (17), o governo do Rio de Janeiro apresentou um novo calendário nesta quinta-feira (22). A previsão agora é de que os salários sejam pagos em até cinco parcelas.

A primeira parcela será paga no dia 5 de janeiro de 2017. Todo o pagamento dos salários de novembro deve ser quitado até o próximo dia 17. O calendário anterior também previa a quitação integral dos salários dos servidores do Rio de Janeiro até o mesmo dia.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.