Tamanho do texto

Durante anúncio de investimentos, presidente destacou nesta terça-feira (27) que todas as obras realizadas no Nordeste “passam por sua mesa”

Michel Temer acompanhado do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e ministros, durante cerimônia de anúncio  nesta terça
Beto Barata/PR/Agência Brasil - 27.12.2016
Michel Temer acompanhado do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e ministros, durante cerimônia de anúncio nesta terça

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (27) que deseja ser lembrado como “o maior presidente nordestino do Brasil” no final de seu mandado, apesar de ter nascido no interior de São Paulo. A declaração “curiosa” foi feita em Maceió durante o anúncio de investimentos em obras de infraestrutura hídricas no local.

LEIA MAIS:  TSE veta apuração de suspeitas contra chapa Dilma-Temer fora da esfera eleitoral

Temer aproveitou o anúncio de investimentos de R$ 775 milhões para construir 133 mil cisternas, microaçudes e programas de acesso à água em 15 estados do Brasil para destacar os “feitos” de seu governo para a região do País. “Vocês já ouviram aqui um grande relato de tudo que o governo federal está fazendo no Nordeste. Naturalmente, tudo isso passa pela minha mesa. É que eu tenho um objetivo e um sonho: que ao final do meu mandato, embora sendo eu de São Paulo, vocês possam dizer 'esse foi o maior presidente nordestino que passou pelo Brasil’”, disse.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, cerca de um milhão de pessoas, em 759 municípios, deve ser beneficiada com os projetos do governo federal. O presidente disse que o Nordeste será beneficiado também pelo dinheiro da repatriação de recursos mantidos no exterior, já que, de acordo com ele, haverá uma “segunda chamada” que ampliará os valores a serem divididos com os estados.

“Temos um novo projeto de repatriação, é uma segunda chamada para aqueles que não trouxeram [o dinheiro], para que possam fazê-lo agora. Nessa segunda chamada já estamos introduzindo a obrigação que não só no imposto, mas na multa haja divisão com estados e municípios”, contou.

Transposição do Rio São Francisco

O presidente peemedebista ainda falou sobre o projeto de transposição do Rio São Francisco, iniciado há 15 anos, mas ainda não concluído. Segundo ele, “seu governo tem foco na responsabilidade com gastos, mas que está ‘fazendo muito sem nenhum carro alegórico’”.

LEIA TAMBÉM:  Delações da Odebrecht, aborto e porte de drogas estão na pauta do STF para 2017

“As pessoas imaginam que, ao mudar governo, o céu fica imediatamente azul. Isso não acontece. A transposição começou há praticamente 15 anos. Houve paralisação, mas liberamos verbas suficientes para que essas obras possam ser inauguradas. Em fevereiro vamos inaugurar o trecho leste”, disse. “Meu sonho é que até final do meu mandato o Eixo Norte e outras obras sejam inauguradas. Se isso acontecer, vou dizer: fiz um bom governo”, acrescentou.

Diálogo com Congresso

Na ocasião, o presidente do País elogiou, mais uma vez, o diálogo realizado com o Congresso Nacional para a aprovação de matérias de interesse de seu governo. “Estamos em uma recessão muito grande e temos de combatê-la. Para isso precisamos de interlocução e diálogo com o Congresso. Graças a Deus, as medidas enviadas para lá têm sido aprovadas com índice superior a 88%.”

MAIS EM:  Propina de empreiteira passou por contas de Temer, diz defesa de Dilma ao TSE

Segundo Michel Temer, o apoio dos congressistas será fundamental para a aprovação de outras medidas, em especial as que alteram a legislação trabalhista, como a modernização das relações de trabalho. “Vamos dialogar com centrais sindicais, trabalhadores e federações de indústria”, finalizou.

*Com informações da Agência Brasil. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.