Tamanho do texto

Economista do Insper é cotado para assumir nova pasta, que só deverá ser aberta em março; secretaria será responsável pela agenda de microeconomia

Presidente Michel Temer anunciou pacote de medidas microeconômicas nesta semana
Reprodução/TV NBR
Presidente Michel Temer anunciou pacote de medidas microeconômicas nesta semana

Em 2017, o governo Temer pretende criar uma secretaria responsável pela agenda de medidas microeconômicas, na mesma linha das anunciadas na última quinta-feira (15). As informações foram publicadas neste sábado (17) no jornal O Estado de S. Paulo.

LEIA TAMBÉM:  Temer entrega presentes de Natal para crianças e acaba virando piada na internet

De acordo com o jornal, o economista da escola de negócios Insper João Manoel Pinho de Mello é cotado, pelo presidente da República Michel Temer (PMDB), para integrar a equipe econômica e assumir a nova secretaria, que só deverá ser aberta em março.

Até janeiro, a prioridade do governo é complementar a regulamentação das dez 10 medidas incluídas no pacote anunciado pelo presidente durante a semana.

Nos meses seguintes, as intenções são acelerar os estudos dos projetos de desburocratização tributária, avançar no destravamento do crédito e melhoria da produtividade da indústria nacional.

VEJA AINDA:  Assessor de Temer acusado de receber propina da Odebrecht pede demissão

A opção nesse primeiro pacote de medidas foi a renegociação de dívidas das empresas e facilitação do pagamento de débitos tributários. Mas o diagnóstico é que ainda há muito o que fazer, principalmente em relação à área trabalhista e de desobstrução do canal de crédito.

Segundo as avaliações do governo, a crise de crédito é, atualmente, o principal fator a atrapalhar a retomada e que uma concorrência maior entre os bancos, públicos e privados, deve ajudar a melhorar essa situação.

Com o aumento do corte da taxa básica de juros pelo Banco Central, as instituições oficiais devem puxar um movimento de redução nas taxas de suas linhas. A Caixa se antecipou e cortou em 0,25 ponto porcentual os juros do crédito imobiliário.

Quem é e o que pensa João Manoel Pinho de Mello?

Além de especialista em organização industrial e economia bancária, Mello é defensor de mudanças nas regras trabalhistas. Segundo ele, a legislação trabalhista é "obsoleta", diminui a produtivida e tais mudanças ajudariam a reduzir o engessamento do mercado de trabalho no País.

De acordo com o jornal, o desenho de esquemas de seguridade social como o FGTS, o abono salarial e o seguro-desemprego incentiva, na avaliação do economista, a rotatividade excessiva da mão de obra. Segundo Mello, a primazia do legislado impede que empregados e empregadores negociem acordos mutuamente benéficos sem criar insegurança jurídica. 

Na última quinta-feira (15), o presidente Michel Temer apresentou um pacote de medidas microeconômicas . Um dia depois do anúncio do pacote, a recepção das medidas foi considerada positiva pelo Palácio do Planalto, principalmente porque foi afastada a possibilidade de adoção de propostas que poderiam ser interpretadas como a volta da chamada Nova Matriz Econômica, a política de estímulos do governo Dilma Rousseff. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.