Tamanho do texto

Dilma aproveitou a entrevista para chamar Temer de traidor; internautas elogiaram a Al Jazeera, dizendo que jornalista não "pegou leve" com a petista

A entrevista de Dilma à Al Jazeera foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nesta sexta
Reprodução/Al Jazeera
A entrevista de Dilma à Al Jazeera foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nesta sexta

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) se exaltou ao ser questionada sobre o escândalo de corrupção da Petrobras, durante uma entrevista com o jornalista Mehdi Hasan, do programa UpFront , da rede de televisão Al Jazeera , do Catar. O vídeo da entrevista foi divulgado nesta sexta-feira (16) na página oficial do programa no Facebook.

LEIA TAMBÉM:  Defesa de Dilma contesta laudo que aponta "forte indício de fraude" em campanha

Na entrevista, Hasan diz a Dilma que algumas pessoas afirmam que, se ex-presidente sabia o que estava acontecendo dentro da Petrobras, ela é cúmplice dos crimes pelos quais os envolvidos no escândalo estão sendo investigados pela Operação Lava Jato. Porém, se a petista não sabia, pode ser chamada de incompetente, por não ter total noção do que acontece durante a sua gestão. O jornalista conclui o raciocínio, então, perguntando quais das duas opções é a verdadeira.

Claramente exaltada, a petista responde à questão dizendo que não vai entrar nessa "escolha de Sofia", uma referência ao filme de mesmo nome, de 1982, com Meryl Streep. "Há uma diferença, e há no mundo inteiro, entre um conselho e uma diretoria executiva. Nem todos os membros da diretoria sabiam que aqueles diretores da Petrobras tinham mecanismos de corrupção e estavam se enriquecendo de forma indevida", justifica.

VEJA AINDA:  Chape, Lula e Dilma: Duas viagens, dois enterros, duas percepções da realidade

Em outro trecho da entrevista, o jornalista pergunta se Dilma nega o envolvimento de políticos do PT no escândalo de corrupção. "Você nega que figuras do PT, incluindo o próprio tesoureiro do partido e seu chefe de gabinete, estivessem envolvidos?", questiona Hasan. A petista responde dizendo que sua função não é a de julgar. "Como eles não estão sendo julgados, não vou opinar", afirma.

A entrevista de Dilma à Al Jazeera foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nesta sexta. O nome da rede de televisão entrou nos TTs (Trending Topics) do Twitter e muitos internautas elogiaram o jornalista, dizendo que ele "não pegou leve" com a ex-presidente.

"Temer é um traidor", afirma a petista

No decorrer da conversa – que aconteceu no Rio de Janeiro, onde a ex-presidente vive desde que deixou o Palácio do Planalto, após o impeachment, em agosto deste ano –, Dilma não economizou nas críticas ao governo Temer, ao qual se referiu, mais uma vez, como um governo golpista.

Segundo Dilma, nos últimos meses, fica "cada vez mais claro" que houve um golpe de Estado no País que a tirou do poder. "Me tiraram para cumprir os seguintes objetivos: impedir que as investigações de corrupção chegassem até a esses que hoje ocupam o poder, implantar no Brasil o resto do processo de liberalização econômica de políticas de privatização, de flexibilização do mercado de trabalho e, sobretudo, retirar completamente os pobres do orçamento do País", denuncia.

"Estas medidas, que são do receituário neoliberal, para serem implantadas, era necessário que ocorresse essa verdadeira suspensão da democracia, que foi o meu impeachment", continua.

Dilma criticou também a polêmica Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita os gastos públicos  nos próximos 20 anos, aprovada nesta semana, e a reforma da previdência. Para ela, Temer é um traidor.

"Eu jamais esperei que ele [Temer] fosse um traidor - e ele é um traidor. A traição no nosso caso não é pessoal, é política. Ele é um traidor, a mim ele traiu enquanto presidente, ele traiu uma instituição, uma campanha. Fomos eleitos com um programa. E neste programa não estava previsto congelar os gastos de Educação e Saúde por 20 anos. Não estava previsto que pessoas só poderão se aposentar com 49 anos de contribuição", afirma Dilma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.