Tamanho do texto

Mais cedo, a Câmara dos Deputados e o presidente do Senado, Renan Calheiros, também comentaram os protestos que ocorreram pelo Brasil

Imagens de ratos foram lançadas em espelhos d'água do Congresso durante manifestação na manhã deste domingo (4)
Marcello Casal Jr/Agência Brasil 04.12.2016
Imagens de ratos foram lançadas em espelhos d'água do Congresso durante manifestação na manhã deste domingo (4)

O Palácio do Planalto disse respeitar as manifestações ocorridas neste domingo (4) em diversas cidades brasileiras de apoio à Operação Lava Jato e combate à corrupção. Por meio de nota à imprensa, o governo do presidente Michel Temer disse que os atos demonstraram novamente a “força e a vitalidade de nossa democracia” e lembrou a necessidade de o Poder Público atender as demandas da população.

Os atos ocorreram pela manhã e à tarde em cerca de 200 municípios. “Milhares de cidadãos expressaram suas ideias de forma pacífica e ordeira. Esse comportamento exemplar demonstra o respeito cívico que fortalece ainda mais nossas instituições. É preciso que os Poderes da República estejam sempre atentos às reivindicações da população brasileira”, destacou o Planalto, no comunicado.

LEIA MAIS:  Entenda o que foi aprovado no texto final do projeto anticorrupção na Câmara

Mais cedo, a Câmara dos Deputados e o presidente do Senado, Renan Calheiros, também comentaram os protestos, já que havia críticas nominais a Renan e ao pacote de medidas contra a corrupção que foi alterado pelos parlamentares na última semana.

Segundo Renan, o Senado Federal continua "permeável e sensível às demandas sociais". No comunicado divulgado à imprensa, ele lembra dos atos de 2013, quando milhões de pessoas foram às ruas. Na época, segundo ele, os senadores votaram 40 propostas contra a corrupção em menos de 20 dias, "entre elas a que agrava o crime de corrupção e o caracteriza como hediondo". A nota diz ainda que as manifestações são “legítimas e, dentro da ordem, devem ser respeitadas.”

LEIA MAIS:  Renan vira réu, mas continua presidente do Senado – entenda por que

Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, classificou os protestos como legítimos e democráticos. "Manifestações desse tipo, em caráter pacífico e ordeiro, servem para oxigenar nossa jovem democracia e fortalecem o compromisso do Poder Legislativo com o debate democrático e transparente de ideias", escreveu.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.