Tamanho do texto

Em almoço no palácio da Alvorada com cúpula do PSDB, Temer recebeu apoio dos ministros; governo de peemedebista já teve seis demissões

Senador Aécio Neves marcou presença no encontro e afirmou que continuará defendendo gestão de Temer
George Gianni / PSDB - 25.11.2016
Senador Aécio Neves marcou presença no encontro e afirmou que continuará defendendo gestão de Temer


Após mais um abalo nas estruturas de seu governo com o pedido de demissão do ex-ministro  da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, o presidente Michel Temer recebeu a cúpula do PSDB para um almoço no Palácio da Alvorada nesta sexta-feira (25).

LEIA MAIS:  Cabral e mais cinco acusados têm R$ 1 bilhão bloqueado por esquema com Michelin

O banquete rendeu ações de apoio ao mandato do peemedebista. O senador Aécio Neves marcou presença no evento, repudiando a atitude do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, de afirmar que Temer o havia “enquadrado” e que também teria sugerido uma saída por meio da Advocacia-Geral da União.  

LEIA MAIS:  Padilha admite ter tentado intervir em crise envolvendo Geddel e Calero

"Não vejo nenhum ato incorreto por parte do presidente da República, ele fez uma sugestão para que a AGU [Advocacia-Geral da União] pudesse dirimir. Nós vamos sustentar o governo Temer porque cabe a ele, constitucionalmente, o papel de liderar o País nesse governo de transição", afirmou.

"Não há alternativa: ou avançamos na condução das reformas ou a crise de responsabilidade dos governos do PT alcançará um número ainda mais avassalador de brasileiros", defendeu Aécio.

LEIA MAIS:  Pressionado por acusações, Geddel Vieira Lima decide deixar o governo

Além do senador do PSDB, participaram do encontro os ministros das Relações Exteriores, José Serra; das cidades, Bruno Araújo;  e da Justiça, Alexandre Moraes. O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardozo, o prefeito eleito de São Paulo, João Doria e governadores do partido também estiveram no evento.

O pedido de demissão do peemedebista, que até então era um dos principais articuladores políticos de Temer, facilita a vida do presidente, que ainda resistia a demitir Geddel Vieira Lima apesar de todo o escândalo envolvendo o ministro.

Marca Negativa

A queda de Geddel impõe uma marca negativa para o governo Temer: já são seis ministros a deixarem a equipe do peemedebista em pouco mais de seis meses desde que Michel Temer assumiu a Presidência da República. 

Os outros cinco foram Marcelo Calero (Cultura), Fabio Medina (AGU), Henrique Eduardo Alves (Turismo), Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência).

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.