Tamanho do texto

Temer tenta nova manobra para enaltecer ações de seu governo com o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) nesta segunda

Temer durante almoço no Palácio da Alvorada, com membros do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico Social)
Beto Barata/PR - 21.11.2016
Temer durante almoço no Palácio da Alvorada, com membros do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico Social)


Em uma manobra para enaltecer as medidas de seu governo, o presidente Michel Temer pediu a ajuda dos integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o chamado "Conselhão", no sentido de divulgar “de forma positiva” as ações que estão sendo planejadas e implementadas pelo governo federal nesta segunda-feira (21). 

LEIA MAIS:  Sarkozy perde primárias na França e sugere que vai abandonar a carreira política

"A comunicação realmente é fundamental. Que os senhores se comuniquem pelo governo. [E que o façam] de uma forma positiva”,  requeriu  Temer , ao solicitar que, em suas rotinas, os conselheiros “propaguem” ao máximo o que será debatido nas reuniões.

Origem

Criado em 2003, o CDES tem o objetivo de assessorar o presidente da República e os demais órgãos do Poder Executivo na elaboração de políticas públicas, articulando as relações do governo com os setores da sociedade civil representados.

LEIA MAIS:  Maioria na Comissão de Ética aprova investigar Geddel, mas votação é adiada

A versão atual do grupo teve 67% de seus membros renovados e teve como tema da primeira reunião a retomada do crescimento econômico.

Presidente Michel Temer com o apresentador de TV, Roberto Justus, em almoço do CDES nesta segunda-feira (21)
Beto Barata/PR - 21.11.2016
Presidente Michel Temer com o apresentador de TV, Roberto Justus, em almoço do CDES nesta segunda-feira (21)


Temer citou novamente a frase “não fale da crise, trabalhe”, que viu estampada em um posto de gasolina. “Verificaram que o posto de gasolina faliu, mas isso não desvaloriza a frase”, disse o presidente ao lamentar ver o “desapreço” das pessoas às instituições. “Isso não pode ocorrer”, falou.

LEIA MAIS:  Cadáver em decomposição é encontrado dentro de poste e assusta moradores em GO

Segundo o presidente, o governo vem tendo “compreensão da classe trabalhadora”, apesar de algum “confronto de ideias” que vem sendo verificado em sindicatos. “Mas faremos muitas reuniões para chegar a um consenso. Isso significa que tanto trabalhadores como empresários precisarão abrir mão de algo”.

"Déficit de Verdade"

Na manhã desta segunda-feira, Temer criticou mais uma vez o governo de Dilma Rousseff, afirmando que havia um "décifit" de verdade quando ele assumiu o governo da petista. 

Temer ainda associou a atual crise econômica a "tentativas de disfarçar a realidade." "No Brasil que encontramos não havia apenas um déficit fiscal. Havia também um certo déficit de verdade. A gigantesca crise que herdamos é produto de reiteradas tentativas de disfarçar a realidade. É preciso encarar os fatos tal como são. Encarar a verdade muitas e muitas vezes é difícil, é desagradável", declarou

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.