Tamanho do texto

Grupo intervencionista pedia intervenção militar, promovendo confronto com a Polícia Legislativa; com tumulto, sessão de discussões foi suspensa

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, determinou à Polícia Legislativa que prenda todos os manifestantes invasores
Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 8.11.2016
Rodrigo Maia, presidente da Câmara, determinou à Polícia Legislativa que prenda todos os manifestantes invasores


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), determinou ao Departamento de Polícia Legislativa que prenda todos os manifestantes que invadiram o plenário da Câmara na tarde desta quarta-feira (16). 

LEIA MAIS:  Manifestantes invadem Câmara dos Deputados e pedem intervenção militar

O grupo, formado por cerca de 60 pessoas de dez estados do país, pedia a intervanção militar entooando as palavras: "Queremos general". A porta de vidro que dá acesso ao plenário foi quebrada por manifestantes . Houve tumulto, a sessão foi suspensa e o local fechado. 

Intervenção Militar

A invasão ocorreu por volta das 15h30, no momento em que os parlamentares ainda aguardavam o quórum mínimo para o início da ordem do dia da sessão extraordinária.

LEIA MAIS: Temer defende operações de segurança permanentes nas fronteiras do País

“Eles entraram no plenário, depredaram e a ordem que dei ao diretor do Depol é que todos saiam daqui presos e sejam levados com o apoio da Polícia Federal, porque nós não vamos aceitar esse tipo de abuso e de agressão ao Parlamento”, assegurou Maia.

Ele informou que foi procurado para negociar depois que o grupo já havia tomado o plenário e que, nesta condição, ele não conversaria.

“Não há negociação porque ela teria que ser feita antes da invasão. Agora, já determinei a prisão de todos.”

A maioria dos manifestantes deixou o plenário acompanhado de policiais legislativos. “Nós vamos e voltaremos”, disse um dos manifestantes ao ser retirado do local escoltado. 

"[Os parlamentares] deixaram de fiscalizar o Executivo e estão seguindo a cartilha do Planalto. Estão institucionalizando aqui o comunismo e o Brasil não quer o comunismo", afirmou o manifestante, acrescentando que as pessoas que promovem a invasão não são ligadas a nenhum grupo organizado.

Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados - 16.11.16
"General aqui!": Manifestantes entoam coros com mensagens intervencionistas na Câmara dos Deputados


Por conta da invasão, o vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), suspendeu os trabalhos e pediu à Polícia Legislativa que ajude na remoção dos manifestantes, que primeiro tomaram o entorno da Mesa Diretora. 

LEIA MAIS:  Saída de tratado de comércio e pressão à China: veja plano de 200 dias de Trump

Por volta das 16h, a Polícia Legislativa retirou todos os jornalistas e cinegrafistas do plenário da Câmara para conseguir expulsar os manifestantes do local.

Às 18h30, após a desocupação dos manifestantes da Câmara, Maia reabriu a sessão plenária que havia sido suspensa. 

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.