Tamanho do texto

Advogados da ex-presidente entregaram documentos à Justiça Eleitoral alegando que contrutora doou R$ 1 milhão ao peemedebista; dinheiro seria propina por contratos com o governo federal; Temer nega irregularidades

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff entregou documentos ao Tribunal Superior Eleitoral  (TSE) informando que a empreiteira Andrade Gutierrez, uma das investigadas pela Lava Jato, doou R$ 1 milhão para sua campanha por meio de contas de Michel Temer, então candidato a vice, em 2014. 

Esse valor, conforme depoimento concedido pelo ex-presidente da construtora Otávio Marques de Azevedo, se referia a pagamento de propina por contratos firmados entre a empresa e o governo federal na primeira gestão de Dilma .

Defesa de Dilma Rousseff alega que empreiteira Andrade Gutierrez repassou R$ 1milhão a Michel Temer
Lula Marques/Agência PT
Defesa de Dilma Rousseff alega que empreiteira Andrade Gutierrez repassou R$ 1milhão a Michel Temer

LEIA TAMBÉM: Temer diz que vitória de Trump não muda relação do Brasil com os EUA

Os documentos foram anexados nesta quarta-feira (9) no processo por suposto abuso de poder político e econômico movido pelo PSDB e pela Coligação Muda Brasil contra a chapa que elegeu Dilma e Temer na eleição daquele ano. 

Os advogados de Dilma alegam que Otávio de Azevedo mentiu ao dizer em juízo, no dia 19 de setembro, que a Andrade Gutierrez teria doado, em março de 2014, R$ 1 milhão ao Diretório Nacional do PT, valor de origem ilícita que posteriormente teria sido repassado pelo partido à campanha de Dilma.

A defesa da petista apresentou comprovantes bancários que demonstram que essa doação, na verdade, passou da conta do Diretório Nacional do PMDB para a conta de Michel Temer, tendo como doador originário a Andrade Gutierrez.

A informação de que Temer recebeu dinheiro de propina fragiliza a defesa do hoje presidente, que sempre tentou se afastar de possíveis atos ilícitos cometidos durante a campanha presidencial de Dilma, que tinha o petista Edinho Silva como tesoureiro.

Os documentos entregues pela defesa da petista deverão ser analisados pela força-tarefa composta por peritos judiciais, órgãos e agentes técnicos da Polícia Federal, Receita Federal e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

LEIA TAMBÉM:  Após vitória de Trump, “Bolsonaro 2018” é um dos assuntos mais comentados na web

"Lamento"

Em entrevista na manhã desta quarta-feira à rádio Itatiaia, de Minas Gerais, Temer disse que não se preocupa com a possível cassação da chapa que o levou ao Palácio do Jaburu – e, posteriormente, ao Planalto – e negou que o dinheiro que recebeu se tratava de pagamento de propina.

"As figuras institucionais do presidente e do vice-presidente são constitucionalmente diversas. [Essa doação] foi R$ 1 milhão que a empresa me ofereceu espontaneamente. Não tenho nenhuma preocupação com isso", afirmou o peemedebista.

Temer também disse "lamentar" a atitude dos advogados de Dilma Rousseff em tentar comprometê-lo no processo que corre na Justiça Eleitoral. 

"Eu lamento que agentes do PT tenham dito isso. Evidentemente, a ex-presidente não poderá ser afastada, né. Então o que eles fazem? Dizem que o vice-presidente é responsável. Tentam jogar em cima do vice-presidente", reclamou Temer. "Mas isso não acontecerá", assegurou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.