Tamanho do texto

Maia se reuniu com opositores na manhã desta terça-feira; governistas já pensam na votação do projeto que cria teto de gastos públicos no Senado

Presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia recebeu o presidente da República, Michel Temer, em coquetel nesta segunda-feira
Carolina Antunes/PR - 24.10.16
Presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia recebeu o presidente da República, Michel Temer, em coquetel nesta segunda-feira

Sem o quórum de 257 deputados necessário para começar a discutir e votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 , a votação inicialmente marcada para iniciar às 9h desta terça-feira (25), foi suspensa. A pauta deve ser colocada em votação no período da tarde.

Desde o início da manhã, aliados do governo de Michel Temer intensificaram as conversas com parlamentares para reduzir resistências ao texto. A proposta, que cria um teto para os gastos públicos, é considerada pelo Planalto como fundamental para o ajuste das contas do País.

LEIA TAMBÉM:  Conselho de Ética faz hoje nova tentativa de votar processo contra Bolsonaro

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assumiu papel de destaque neste esforço para a aprovação da PEC, chamou deputados da oposição para um café da manhã na residência oficial em Brasília, ao qual compareceram Orlando Silva (PCdoB- SP), José Guimarães (PT-CE), Jandira Feghalli (PCdoB-RJ), Daniel Almeida (PCdoB-BA) e Ivan Valente (PSOL-SP). Os deputados, no entanto, disseram que o assunto PEC 241 não entrou na pauta e o encontro foi para discutir procedimentos da Comissão Especial da Reforma Política que será instalada à tarde .

Na noite desta segunda-feira (24), Maia ofereceu um coquetel, também em sua residência, com a participação do presidente Michel Temer e de mais de 200 deputados aliados para discutir a PEC 241.

A expectativa do governo é ampliar o placar de 366 votos favoráveis à proposta , conquistados no 1º turno de votação. Enquanto isso, ministros de Temer já começam investidas junto aos senadores, que também irão analisar a PEC 241, se ela for aprovada em segundo turno na Câmara. A previsão do governo é que, no Senado, a votação final ocorra ainda na primeira quinzena de dezembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.