undefined
Reprodução/Twitter
Temer chega antes do previsto para votar em sua sessão eleitoral, na universidade PUC, em São Paulo

Na manhã deste domingo (2), Michel Temer driblou os protestos e a imprensa e votou em seu colégio eleitoral pouco depois da abertura das urnas. Tentando evitar possíveis tumultos, a assessoria do presidente havia informado que ele votaria às 11 horas, mas o mesmo chegou às 8h no local. 

LEIA TAMBÉM: Candidato à reeleição, Fernando Haddad vota na zona sul de São Paulo

O colégio eleitoral onde está a sessão de Temer é na PUC, no bairro de perdizes, em São Paulo. Acompanhado por seguranças, ele não entrou pelo portão principal da universidade, que fica na Rua Monte Alegre, mostrando que a manobra deu certo, não encontrando nenhum manifestante no local. Em uma estratégia de votação rápida, o presidente fez uma breve passagem, cumprimentou os mesários, votou e foi embora.

A assessoria de Temer também informou que a primeira-dama Marcela Temer foi votar no colégio Rainha da Paz, no Alto de Pinheiros, que fica perto da residência do casal, ao mesmo tempo que ele.

O protesto marcado no Facebook, intitulado "Temer não votará", contava com milhares de presenças confirmadas, inclusive os alunos da PUC, que haviam dito que tirariam “o sossego” do atual presidente. No Twitter, muitos já comentaram sobre o ocorrido:




    Veja Também

      Mostrar mais