Tamanho do texto

Procuradores da força-tarefa começam a ouvir alvos da nova fase da Lava Jato nesta manhã; sete pessoas tiveram a prisão temporária decretada

Agência Brasil

34ª fase da Operação Lava Jato mira irregularidades na contratação de obras para construir plataformas da Petrobras
Marcelo Camargo/Agência Brasil
34ª fase da Operação Lava Jato mira irregularidades na contratação de obras para construir plataformas da Petrobras

Estão previstas para esta sexta-feira (23) as oitivas dos presos temporários da Operação Arquivo X. Segundo documento da Polícia Federal entregue à Justiça Federal do Paraná, as declarações serão colhidas pelos Procuradores da República que trabalham no caso.

Os depoimentos estão previstos para o período da manhã e da tarde desta sexta-feira e serão realizados na Superintendência da PF em Curitiba.

LEIA TAMBÉM:  Moro bloqueia contas de Guido Mantega

Nesta quinta-feira (22) a Polícia Federal, com o apoio da Receita Federal, deflagrou a 34ª fase da Operação Lava Jato, denominada de Arquivo X. Nesta fase são investigados fatos relacionados à contratação pela Petrobras de empresas para a construção de duas plataformas para a exploração de petróleo na camada pré-sal.

Os presos temporários nessa operação foram: Luis Eduardo Neto, Rubem Maciel da Costa Val, Danilo Sousa Baptista, Luis Eduardo Guimarães Carneiro, Luis Claudio Machado Ribeiro, Francisco Corrales Kindelan e Guido Mantega. Já Julio Cesar Oliveira Silva, que também tinha mandado de prisão decretado, está na Espanha e não há indicativo de que retorne ao Brasil.

LEIA TAMBÉM:  "O ministro de Estado pediu, o que é que você faz?": o que Eike disse à Justiça

Preso na manhã desta quinta-feira em São Paulo, o ex-ministro dos governos Lula e Dilma Guido Mantega teve o pedido de prisão revogado horas depois  pelo juiz federal Sérgio Moro. O magistrado considerou que Mantega não representava riscos ao recolhimento de provas, uma vez que estava acompanhando sua mulher em tratamento médico em um hospital.