Tamanho do texto

Empresário relatou ao MPF pedido de R$ 5 milhões feito por Guido Mantega; nova fase da Lava Jato mira empresa que era presidida por Batista em 2012

Segundo procuradores da Lava Jato, ex-ministro Guido Mantega pediu que o empresário Eike Batista pagasse propina ao PT
Fabio Pozzebom/Agência Brasil
Segundo procuradores da Lava Jato, ex-ministro Guido Mantega pediu que o empresário Eike Batista pagasse propina ao PT

O Ministério Público Federal informou nesta quinta-feira (22) que o empresário Eike Batista declarou ter recebido um pedido para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões para o Partido dos Trabalhadores (PT), em novembro de 2012. O pedido teria sido feito pelo ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que foi preso nesta manhã em São Paulo .  À época, Guido também era presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

A Polícia Federal está cumprindo três mandados de prisão temporária, sete de condução coercitiva e 15 de busca e apreensão no Estado do Rio de Janeiro, como parte da 34ª fase da Operação Lava Jato. Os mandados estão sendo cumpridos na capital e em outros três municípios: Niterói, no Grande Rio; Cabo Frio, na Região dos Lagos; e São João da Barra, no norte do Estado.

LEIA TAMBÉM:  MP da reforma do ensino médio será definida nesta quinta-feira

Um dos alvos da operação é a sede da empresa OSX, no centro da cidade do Rio de Janeiro. À época dos fatos relatados por Eike Batista, o empresário era presidente do Conselho de Administração da empresa.

A 34ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Arquivo X, investiga a contratação, pela Petrobras, de empresas para a construção de duas plataformas.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.