Tamanho do texto

Em comunicado à imprensa, porta-voz do Departamento de Estado norte-americano afirma que ambos países são comprometidos com parcerias

Agência Brasil

 Possível encontro entre os presidentes Michel Temer e Barack Obama, durante a reunião do G20, não foi confirmado
MANDEL NGAN/afp
Possível encontro entre os presidentes Michel Temer e Barack Obama, durante a reunião do G20, não foi confirmado


O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, John Kirby, declarou hoje (31), em entrevista, ao comentar o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, que os Estados Unidos mantêm a confiança no Brasil: “Estamos confiantes de que vamos continuar a forte relação bilateral que existe entre os nossos dois países, como as duas maiores democracias e economias do hemisfério”.

Kirby acrescentou que Brasil e Estados Unidos são parceiros comprometidos. "Nós cooperamos com o Brasil para tratar de questões de interesse mútuo nos desafios globais mais prementes do século 21. Pretendemos continuar esta colaboração muito essencial", afirmou.

LEIA MAIS: Dilma irá recorrer contra impeachment e diz que oposição a Temer será ferrenha

Ao ser indagado pelos jornalistas sobre se os Estados Unidos fariam alguma declaração oficial sobre a decisão do Senado brasileiro, John Kirby disse que não tinha nenhuma comunicação diplomática para divulgar hoje. O impeachment aprovado pelo Senado “foi uma decisão tomada pelo povo brasileiro e, obviamente, nós respeitamos isso”, disse o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano.

Sobre um possível encontro entre os presidentes Michel Temer e Barack Obama, durante a reunião do G20, na China, John Kirby sugeriu aos jornalistas que consultassem a Casa Branca. Também não quis fazer qualquer comentário sobre uma possível viagem de Temer para visitar Obama, em Washington.

    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.