Tamanho do texto

Vídeo que viralizou na internet mostra o deputado Antonio Imbassahy (PSDB) segurando pacote 'suspeito' durante depoimento de Dilma no Senado

Deputado Antonio Imbassahy segurando 'pacote suspeito' aparece durante questionamento de Aloysio Nunes a Dilma
Gerdan Wesley - 29.8.16
Deputado Antonio Imbassahy segurando 'pacote suspeito' aparece durante questionamento de Aloysio Nunes a Dilma

Em mais de 14 horas de sessão do julgamento final do impeachment  nesta segunda-feira (29), quando a presidente afastada Dilma Rousseff respondeu aos questionamentos de senadores no plenário, uma cena em especial chamou a atenção dos internautas: uma mão balançando um suposto pacote de cocaína durante a oitiva da petista. 

O fato ocorreu durante uma resposta de Dilma ao senador do PSDB Aloysio Nunes (SP) e foi percebido pelo coletivo anarquista Mariachi, que compartilhou o vídeo em sua página do Facebook. A publicação foi compartilhada mais de 11 mil vezes e obteve mais de 24 mil curtidas. Confira o vídeo abaixo:


Na gravação feita pela TV Senado, não é possível distinguir quem é a pessoa segurando o pacote suspeito. Fotos publicadas no site do PSDB, no entanto, indicam que se trata do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB-BA), que acompanhava o julgamento no Senado.

LEIA TAMBÉM:  O dia da defesa de Dilma em nove momentos

A assessoria de imprensa do PSDB no Distrito Federal confirmou que o personagem do vídeo que se tornou viral no  Facebook é o deputado Imbassahy, mas garantiu que o citado pacote era apenas um sachê de açúcar.

Para comprovar a tese, o estafe tucano divulgou outra imagem que mostra a mão do parlamentar segurando o mesmo pacote junto a uma xícara de café. Veja abaixo:

Ao fundo, deputado Antonio Imbassahy aparece com xícara de café e pacote de açúcar, conforme assessoria de imprensa do PSDB
Divulgação/PSDB - 29.8.16
Ao fundo, deputado Antonio Imbassahy aparece com xícara de café e pacote de açúcar, conforme assessoria de imprensa do PSDB



Julgamento

No discurso que abriu seu depoimento no Senado na segunda-feira, Dilma classificou o governo interino de Michel Temer como "usurpador e indireto" e disse que o processo de impeachment em que é julgada é ilegítimo.

Já nesta terça-feira (30), o quinto dia do julgamento do processo de afastamento de Dilma no Senado, uma das autoras do pedido de impeachment da petista, a advogada Janaína Paschoal, chorou e pediu desculpas à presidente afastada.

"Peço que ela um dia entenda que eu fiz isso também pensando nos netos dela", afirmou a advogada, que mais cedo havia reconhecido que é "muito difícil" apresentar um pedido de impeachment contra uma mulher.


    Leia tudo sobre: Impeachment

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.