Tamanho do texto

Parlamentares asseguram que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vai pautar o parecer e não um projeto de resolução na votação do caso Cunha

Os deputados Alessandro Molon (Rede-RJ) e Chico Alencar (Psol-RJ) afirmaram nesta segunda-feira (22) que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que colocará para ser votado no plenário o parecer pela cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) aprovado pelo Conselho de Ética da Casa – e não um projeto de Resolução.

No domingo (21) o jornal "O Estado de São Paulo" mostrou que aliados de Eduardo Cunha pressionam Maia para que ele coloque em votação no plenário o projeto de Resolução, e não o parecer. Isso porque, diferente do parecer, o projeto permite que sejam apresentadas emendas, o que abriria a oportunidade para aliados do peemedebista tentarem aprovar uma pena mais branda do que a cassação.

Aliados de Eduardo Cunha pressionam o presidente da Câmara a levar projeto de Resolução à votação
Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 14.7.16
Aliados de Eduardo Cunha pressionam o presidente da Câmara a levar projeto de Resolução à votação

"Ele disse que não vai fazer nada de diferente do que sempre foi feito na Casa", disse Molon, que é líder da Rede, após reunião de líderes partidários com Maia. "Ele disse que jamais alteraria o que é praxe da Casa. Ou seja, que colocará em votação o parecer do Conselho de Ética", emendou Alencar. Procurado, Maia não respondeu as mensagens enviadas pela reportagem.

LEIA TAMBÉM:  De pedra a vidraça: a saga de Eduardo Cunha em oito atos

A votação do caso de Cunha está marcada para o dia 12 de setembro. O líder da Rede tenta, porém, antecipar a votação. Molon prometeu apresentar na sessão desta segunda-feira requerimento pedindo para Maia convocar a votação para 19h desta terça-feira (23). Segundo Molon, além da Rede, seis partidos apoiam o requerimento: PT, PCdoB, PDT, PSB, PPS e Psol. A inclusão do pedido na pauta, porém, depende de decisão do presidente da Câmara.

    Leia tudo sobre: Eduardo Cunha
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.