Tamanho do texto

Advogados do ex-presidente insistem que Moro atuou ilegalmente ao quebrar o sigilo de áudios em que o ex-presidente conversa com autoridades

Agência Brasil

Defesa do ex-presidente Lula alegou que Moro atuou ilegalmente ao autorizar fim do sigilo de gravações telefônicas
Gero/Estadão Conteúdo - 12.08.2016
Defesa do ex-presidente Lula alegou que Moro atuou ilegalmente ao autorizar fim do sigilo de gravações telefônicas


A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreu novamente ao Supremo Tribunal Federal (STF) ao solicitar punição ao juiz federal Sérgio Moro por, supostamente, ter invadido competência da Corte para julgar processos envolvendo Lula e investigados com foro privilegiado.

LEIA MAIS:  Moro nega pedido de Lula e decide ter competência para julgar ex-presidente

A defesa do ex-presidente acusa Moro de atuar ilegalmente ao afirmar que os áudios em que o ex-presidente conversa com autoridades com foro privilegiado tinham “relevância jurídico-penal”, além de autorizar o fim do sigilo das gravações e o compartilhamento em outros inquéritos e ações penais. 

Lula encaminhou ao Comitê de Direitos Humanos da ONU recurso para barrar ações que ele considera
Ricardo Stuckert/ Instituto Lula - 28.03.16
Lula encaminhou ao Comitê de Direitos Humanos da ONU recurso para barrar ações que ele considera "abuso de poder"



Em  junho, o ministro Teori Zavascki remeteu ao juiz Sérgio Moro as investigações sobre o  ex-presidente na Operação Lava Jato e anulou a gravação, feita durante a operação, de uma conversa telefônica entre Lula e a presidente afastada Dilma Rousseff. 

LEIA MAIS:  Mulher de Lula ignora depoimento à PF

A defesa também discordou do parecer no qual o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que não houve ilegalidades em outras gravações que fazem parte das investigações.

LEIA MAIS:  Lula participou ativamente do esquema criminoso na Petrobras, diz MPF

“Conclui-se, com o devido respeito, que o parecer ofertado pelo procurador-geral da República está lastreado em premissas equivocadas e não logrou afastar o óbvio cabimento e a clara procedência da presente reclamação”, acrescentou a defesa.

    Leia tudo sobre: Lula

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.