Tamanho do texto

Deputado nega que esteja beneficiando Cunha com os prazos prolongados, mas reconheceu que o impasse no processo de cassação do colega de bancada causa transtorno na Câmara

Estadão Conteúdo

Presidente do CCJ, Serraglio negou que esteja beneficiando Cunha com os prazos prolongados
Wikimedia Commons
Presidente do CCJ, Serraglio negou que esteja beneficiando Cunha com os prazos prolongados


O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), avalia que será possível concluir a votação do recurso do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) até o dia 12 de julho, última semana antes do início do recesso parlamentar. "No que for possível ser produtivo, aproveitando o pouco tempo que nós temos, estou pautando e fazendo acontecer", assegurou Serraglio.

Por conta da instabilidade de quórum na Casa nos últimos dias, o peemedebista explicou que marcou a sessão de leitura do parecer do relator Ronaldo Fonseca (PROS-DF) para quarta-feira (6) porque não seria possível votar o recurso nesta semana. "Não pautei para hoje porque não tínhamos (sessão) hoje. Como é que eu ia imaginar que o presidente (da Câmara, Waldir Maranhão - PP-MA) ia convocar uma reunião de hoje a quinta-feira? Meu raciocínio foi construído na inexistência desta segunda-feira", justificou. Serraglio afirmou ainda que Fonseca precisava de mais tempo para produzir um relatório.

Deputado e presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é investigado na Lava Jato
Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo
Deputado e presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é investigado na Lava Jato

Na avaliação de Serraglio, um eventual recesso branco não interromperia a análise do pedido de cassação no plenário, mas admite que haveria dificuldade em reunir parlamentares para votar o caso de Cunha no plenário. Ele negou que esteja beneficiando Cunha com os prazos prolongados, disse estar com a "cabeça tranquila", mas reconheceu que o impasse no processo de cassação do colega de bancada causa transtorno para a Câmara. "Toda situação do Eduardo Cunha é tormentosa, é evidente que há dificuldade para a Casa", concordou o deputado.

Serraglio espera que Fonseca entregue seu parecer nas próximas horas desta segunda-feira (4) e avisou que encaminhará o relatório para todos os membros da comissão. Cunha será notificado a comparecer na comissão, se assim o quiser.


    Leia tudo sobre: Eduardo Cunha
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.