Tamanho do texto

Suspeito de envolvimento em esquema no Ministério do Planejamento, Paulo Ferreira teve prisão preventiva decretada na Operação Custo Brasil, desdobramento da Lava Jato

Polícia Federal realizou buscas na sede nacional do Partidos dos Trabalhadores, no centro de SP
Werther Santana/Estadão Conteúdo - 23.6.16
Polícia Federal realizou buscas na sede nacional do Partidos dos Trabalhadores, no centro de SP

O ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira se entregou na tarde desta sexta-feira (24) à Justiça Federal em São Paulo. Paulo Ferreira teve prisão preventiva decretada pelo juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, da 6ª Vara Federal, na capital paulista, na Operação Custo Brasil, desdobramento da Lava Jato.

O ex-tesoureiro está sob suspeita de envolvimento no esquema de fraude com empréstimos consignados, a partir de um contrato do Ministério do Planejamento, em 2010, na gestão do então ministro Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PT). O ex-ministro foi preso nesta quinta-feira (23).

A Justiça decretou a prisão de 11 investigados, entre eles Paulo Ferreira e Paulo Bernardo.