Tamanho do texto

Entrega de credenciais diplomáticas foi feita também em maio, quando Alberto Castellar alegou problemas de saúde

Em maio, Michel Temer entregou credenciais diplomáticas a embaixadores de seis países
Beto Barata/PR
Em maio, Michel Temer entregou credenciais diplomáticas a embaixadores de seis países

Assim como ocorreu durante a primeira entrega de credenciais diplomáticas  do governo interino de Michel Temer, o embaixador venezuelano foi o único dos convidados a faltar ao evento desta quinta-feira (23), que oficializa o reconhecimento para a diplomacia estrangeira atuar no Brasil.

Em 25 de maio, quando o presidente em exercício distribuiu as primeiras credenciais, Alberto Castellar alegou problemas de saúde para justificar sua falta. O Itamaraty ainda não sabia qual a razão para a ausência do venezuelano.

A atitude é mais uma entre as polêmicas entre Brasil e Venezuela na era Temer. Logo após o afastamento da presidente Dilma Rousseff, o presidente Nicolás Maduro disse apoiar a petista e afirmou que o processo de impeachment seria um "golpe de Estado".

Ele chegou a pedir a Castellar que voltasse à Venezuela, em demonstração de desaprovação às decisões do Congresso brasileiro. Desde então, as relações diplomáticas entre os dois países começou a estremecer, com o novo ministro das Relações Exteriores, José Serra, subindo o tom contra Maduro.

Apesar da ausência, Temer entregou 11 cartas nesta quinta-feira (23). Os embaixadores de San Marino, Austrália, Mauritânia, Argentina, Colômbia, Cazaquistão, África do Sul, Peru, Macedônia, Trinidad e Tobago e Bolívia.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: impeachment