Tamanho do texto

Ministro Teori Zavascki negou pedido de advogados para que o peemedebista enviasse explicações por escrito à PF; inquérito investiga suposto repasse de propina em acordo da Petrobras

Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) já é alvo de nove inquéritos da Lava Jato no STF
Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) já é alvo de nove inquéritos da Lava Jato no STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-RJ), seja ouvido pessoalmente pela Polícia Federal em um dos nove inquéritos que tramitam na Corte contra o peemedebista no âmbito da Operação Lava Jato.

O ministro negou um pedido formulado pela defesa de Renan, que pedia para enviar as explicações sobre o caso por escrito. A Procuradoria-Geral da República havia se manifestado contrária à solicitação. A Polícia Federal afirma que falta apenas o depoimento do presidente do Senado para concluir o inquérito.

O inquérito investiga suposto pagamento de propina em acordo da Petrobras com o Sindicato dos Práticos, categoria de profissionais que atua em portos. O deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) também é alvo da investigação, que surgiu a partir da delação do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa.

Os dois são investigados por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Tanto a defesa de Renan quanto a de Aníbal negam envolvimento no caso.