Tamanho do texto

Presidente em exercício tem sofrido pressão da opinião pública por não ter indicado nenhuma mulher para seu ministério

Estadão Conteúdo

Renan Calheiros alfineta presidente interino Michel Temer em opinião sobre liderança no Senado
Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
Renan Calheiros alfineta presidente interino Michel Temer em opinião sobre liderança no Senado


O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), declarou nesta quinta-feira (19) que o presidente em exercício Michel Temer deveria nomear uma mulher como líder do governo na Casa. A declaração foi feita após as polêmicas em relação ao ministério nomeado por Temer, formado apenas por homens. “Se for uma mulher, será bom, como uma resposta do Senado a essa circunstância que vivemos no Brasil”, disse o preemedebista, alfinetando as escolhas do presidente interino.

Desde o início das críticas, o governo busca mulheres para assumir cargos do segundo escalão. O presidente interino já indicou Maria Silvia Bastos Marques para a presidência do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e buscou um nome feminino para a Secretaria da Cultura, mas, após cinco recusas – que incluíram a cantora Daniela Mercury e a jornalista Marília Gabriela –, nomeou um homem para o cargo.

Para a vaga no Senado, Renan Calheiros chegou a apontar nomes de senadoras que poderiam assumir a função, entre elas Simone Tebet (PMDB-MS) e Ana Amélia (PP-RS), que já haviam sido cogitadas. A novidade foi a sugestão da parlamentar Lúcia Vânia (PSB-GO), até então fora da corrida pela vaga.

Uma das parlamentares mais idosas do Senado, gaúcha Ana Amélia (PP) teria recusado liderança
Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
Uma das parlamentares mais idosas do Senado, gaúcha Ana Amélia (PP) teria recusado liderança


O presidente da Casa disse que a dificuldade de Temer em escolher quem será o líder é compreensível e está na quantidade de “nomes expressivos” para exercer o cargo. Em contrapartida, a liderança no Senado não costuma ser uma função disputada. No ano passado, a presidente afastada Dilma Rousseff demorou cinco meses, com recusas de diversos parlamentares, até ter o sim do agora cassado Delcídio do Amaral (sem partido -MS).

Entre os nomes citados, senadores do PMDB resistem a Simone por ser “muito jovem” e a Ana Amélia por ter “relação ruim” com alguns setores do Senado. O ideal, para eles, é que a líder tenha bom trânsito com todos os blocos partidários. Nos bastidores, a senadora do PP já teria recusado o convite.

Veja quem são os 23 ministros do governo interino de Michel Temer: