Tamanho do texto

Ministro da Justiça deverá esclarecer relação com a Polícia Federal; Fabiano Silveira, da Transparência, também vai depor

Estadão Conteúdo

Alexandre de Moraes deixou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para assumir pasta
Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Alexandre de Moraes deixou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para assumir pasta


Depois que Mendonça Filho e Gilberto Kassab – da Educação e da Comunicação, Ciência e Tecnologia, respectivamente – foram convocados para prestar depoimento no Senado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (18) mais duas convocações a ministros do governo Temer: Alexandre de Moraes, da Justiça, e Fabiano da Silveira, da Transparência, Fiscalização e Controle.

Moraes foi convidado a depor sobre possíveis mudanças na estrutura e gestão do ministério, além de dar maiores explicações sobre a relação que pretende estabelecer com a Polícia Federal e o Ministério Público no âmbito das investigações federais. Ex-secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, ele disse defender a ação da Operação Lava Jato e garantiu que manteria o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello.

Fabiano da Silveira, por sua vez, deverá esclarecer as razões que levaram à extinção da Controladoria-Geral da União (CGU) pelo presidente em exercício, Michel Temer, e quais os eventuais impactos para o sistema de controle do Poder Executivo. As reuniões ainda não foram agendadas.

Veja quem são os ministros que formam o primeiro escalão do governo Temer: