Tamanho do texto

Ministro Teori Zavascki é relator do mandado de segurança impetrado pelo governo para tentar anular o processo de impeachment e ainda não manifestou sua decisão

Estadão Conteúdo

Senadora Gleisi Hoffmann
Jefferson Rudy/ Agência Senado - 07.03.16
Senadora Gleisi Hoffmann

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pediu nesta quarta-feira (11) a suspensão da sessão que vai analisar a admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado. Ela defende que o processo apenas seja iniciado após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, que relata o mandado de segurança impetrado pelo governo para tentar anular o processo de impeachment.

Na terça, o governo entrou com o pedido no Supremo, argumentando que o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), agiu por vingança contra Dilma ao dar andamento ao pedido de afastamento contra ela. A peça também apontou que Cunha manobrou para escolher o deputado Jovair Arantes como relator da comissão especial de impeachment e indeferiu pedidos de reabertura do prazo para defesa.

Gleisi fez uma questão de ordem já no início da sessão, inciada com uma hora de atraso. Ela contestou a possibilidade de que a discussão seja aberta enquanto a decisão do Supremo não é tomada.