Tamanho do texto

Em nota , senador que teve o mandato cassado nesta terça-feira se disse vítima de "espírito revanchista" do peemedebista e anuncia que irá representar contra o presidente do Senado

Delcídio do Amaral condenou a condução do processo contra ele no Senado
Wilton Junior/Estadão Conteúdo - 9.5.16
Delcídio do Amaral condenou a condução do processo contra ele no Senado

O senador cassado Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) divulgou nota nesta terça-feira (10) subscrita também por seu advogado, Antonio Augusto Figueiredo Basto, em que atribui ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), "manobra traiçoeira, típica do gangsterismo que intimida pessoas e ameaça instituições". Delcídio acusa Renan de adotar "o espírito revanchista de quem se julga acima da lei e do Direito".

"A maneira açodada com que se precipitou a sessão de cassação do mandato de Delcídio do Amaral, com atropelo de ritos e supressão de garantias, reflete uma retaliação vil à sua condição de colaborador da Justiça. A manobra para alterar o que fora inicialmente deliberado revela a preocupação de quem pretende manter-se nas sombras da impunidade e esconder o aditamento recentemente oferecido pela Procuradoria-Geral da República perante o Supremo Tribunal Federal. A tentativa de emudecer Delcídio do Amaral e esconder o já mencionado aditamento será objeto de pronta representação contra o senador Renan Calheiros, por obstruir o procedimento e constranger a Casa legislativa", diz a carta.

Delcídio esclarece sua ausência na votação realizada nesta terça-feira. "Ainda em tempo, cabe esclarecer que a Defesa constituída repele a nomeação de defensor ad hoc e não se fez presente à sessão para não compactuar com as arbitrariedades dessa comédia de fantoches, protagonizada pelo autoritarismo de quem se encastela no poder de ameaça e intimidação."