Tamanho do texto

Durante ausência da petista, que embarca nesta quinta-feira para os Estados Unidos, Michel Temer assume a presidência


Dilma Rousseff buscará apoio internacional contra o impeachment
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Dilma Rousseff buscará apoio internacional contra o impeachment

A presidente Dilma Rousseff viaja nesta quinta-feira (21) a Nova York, nos Estados Unidos, para participar, na sexta-feira, da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris sobre Mudança do Clima, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). Durante a sua ausência, o vice-presidente Michel Temer assume a presidência.

O principal objetivo da viagem, porém, será a sua fala na sede das Nações Unidas. Dilma deve aproveitar a oportunidade de discursar a líderes mundiais para tentar se defender do impeachment aprovado na Câmara dos Deputados do domingo (17).

Nas últimas semanas, a petista adiou diversas viagens internacionais e se dedicou à articulação para barrar o seu processo de impedimento.

Nesta terça-feira (19), em entrevista a correspondentes estrangeiros no Palácio do Planalto, Dilma criticou o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por conspirarem contra seu mandato. Ela também afirmou que o Brasil tem um “veio golpista adormecido” e que não houve um presidente após a redemocratização do país que não tenha tido um processo de impedimento no Congresso Nacional.

Acordo de Paris

O acordo global climático foi assinado na 21ª Conferência das Partes (COP21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima em Paris, em dezembro. Após 13 dias de debates, representantes de 195 países chegaram, pela primeira vez na história, a um acordo global sobre o clima.

O Acordo de Paris prevê limitar o crescimento da emissão de gases de efeito estufa e a criação de um fundo global de US$ 100 bilhões, financiado pelos países ricos, a partir de 2020, para frear o aquecimento global a 1,5°C.

* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: impeachment