Manifestantes contrários ao impeachment fecham rodovias em ao menos 18 Estados

Protestos começam a se intensificar às vésperas da votação do processo contra Dilma na Câmara, marcada para domingo (17)
Foto: Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Estadão Conteúdo - 13.03.2016
Grupos ligados a sindicatos caminham pela Ponte das Bandeiras, região central, nesta sexta-feira








Grupos favoráveis à permanência de Dilma Rousseff na Presidência bloqueiam rodovias em ao menos 18 Estados e Distrito Federal, nesta sexta-feira (15), às vésperas da votação em plenário da Câmara dos Deputados do processo de impeachment, marcada para domingo (17).

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) está a frente das interdições nas rodovias federais, que tiveram início às 8h, de acordo com a coordenação nacional do movimento. O grupo informou ter mobilizado 62 mil militantes em todo o País. Em vários Estados, as polícias militares não estimaram os participantes nos atos.

Os Estados onde ocorrem os fechamentos são Paraná, Alagoas, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí, Pará, Sergipe, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Bahia, Paraíba, Santa Catarina e Rio Grande do Norte, além do Distrito Federal.

Nos bloqueios, os manifestantes queimam pneus e fecham a passagem com pedras e faixas. Em Minas Gerais, por exemplo, os bloqueios ocorrem nos municípios de Uberlândia, Uberaba, Governador Valadares, Montes Claros e Rio Doce.

No Paraná, há manifestações em Carambeí, Mauá da Serra, Nova Laranjeiras, Cascavel, Curitiba, São Miguel do Iguaçu e Jacarezinho. Manifestantes ligados à Frente Brasil Popular, aliada do PT, também realizaram bloqueios. Em Pernambuco, na BR-232, houve conflito entre manifestantes e a Polícia Civil, que furou o bloqueio da rodovia.

Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo - 15.4.16
SP Manifestantes que protestam contra a saída de Dilma caminham rumo ao centro da cidade

Em São Paulo, um grupo de manifestantes fechou a rodovia dos Imigrantes na altura do quilômetro 15, na chegada à cidade. Todas as faixas foram bloqueadas.

Na capital paulista, membros da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) se mobilizaram na Ponte das Bandeiras, sentido Santana. Os manifestantes estenderam uma faixa com a inscrição 'fora Cunha' e exibiam cartazes com pedido pela democracia. As duas pistas foram ocupadas, e os motoristas não conseguiam seguir caminho em direção ao bairro. Viaturas da Polícia Militar e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estavam no local.

Os movimentos populares pró e contra o governo se mobilizam para tomar as ruas no próximo fim de semana. Grupos a favor ao impedimento lideram grandes protestos no domingo, dia de votação que definirá se o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff deverá ou não ser aberto.

Em Brasília, uma cerca de metal no gramado em frente ao Congresso vai separar os manifestantes. Os favoráveis ao impeachment, convocados principalmente pelos grupos Vem Pra Rua, Movimento Brasil Livre, Revoltados On Line e Aliança Nacional dos Movimentos Democrático, ficarão do lado direito. Já os manifestantes contrários ao processo, liderados pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, ficarão à esquerda da barreira.

O MST estima que 40 mil manifestantes estarão em Brasília neste sábado (16) em um acampamento ao lado do estádio Mané Garrincha. Está prevista uma visita da presidente Dilma Rousseff ao loca, onde manifestantes já acampam há duas semanas.

Veja votação de relatório favorável ao impeachment em comissão especial:


Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-04-15/manifestantes-contrarios-ao-impeachment-bloqueiam-rodovia-e-avenida-em-sao-paulo.html