Tamanho do texto

Três ministros do PMDB que permaneceram em seus cargos após o desembarque também retornarão à Câmara para votar

Marcelo Castro, da Saúde,  é um dos ministros que terá licença de seu cargo para votar no domingo
CHARLES SHOLL/FUTURA PRESS
Marcelo Castro, da Saúde, é um dos ministros que terá licença de seu cargo para votar no domingo

O governo decidiu que todos os ministros que têm mandato de deputado federal deverão voltar à Câmara para votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, informou nesta quarta (13) o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, em mensagem publicada em sua página na rede social Facebook.

Um desses ministros é o próprio Ananias, que vai se licenciar do cargo para participar da votação no domingo. Ele é filiado ao PT e elegeu-se deputado por Minas Gerais. "Estarei de volta à Câmara exercendo, ainda que nessa situação excepcional, o mandato que o povo de Minas me confiou. Permaneço junto de todos os que seguem lutando, sem cessar, pela Manutenção Democrática e pela ampliação da Justiça Social, acima de todos os interesse pessoais", escreveu.

Ontem, os três ministros do PMDB com mandato na Câmara também decidiram deixar suas pastas para votar contra o afastamento de Dilma. São eles Celso Pansera, da Ciência, Tecnologia e Inovação; Marcelo Castro, da Saúde; e Mauro Lopes, da Aviação. Segundo o acompanhamento feito diariamente pelo "Estadão" e o Broadcast Político, 125 deputados estão ao lado de Dilma e 324 apoiam o afastamento da presidente. São necessários 342 votos a favor do impeachment para que Dilma deixe o poder.

Veja a votação do parecer na comissão especial do impeachment:



    Leia tudo sobre: Impeachment