Tamanho do texto

Senador será ouvido no dia 7 de abril em processo que pode cassar seu mandato; conselho desiste de ouvir testemunhas

Senador Delcídio do Amaral é acusado de quebra de decoro parlamentar
Reuters
Senador Delcídio do Amaral é acusado de quebra de decoro parlamentar

O Conselho de Ética do Senado Federal remarcou para o próximo dia 7 de abril o depoimento do senador Delcídio do Amaral (ex-PT/MS) no processo que pede a cassação de seu mandato na Casa.

As testemunhas que foram convocadas a depor na reunião realizada nesta terça-feira (29) não compareceram. Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e autor da gravação que culminou na prisão de Delcídio, alegou que está no exterior. Já o advogado Edson Ribeiro e o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, – ambos presos junto ao senador em novembro do ano passado –, estão em prisão domiciliar.

Com a ausência das testemunhas, o conselho decidiu não convocar mais depoentes, atendendo a pedido do relator do processo contra Delcídio no Conselho de Ética, senador Telmário Mota (PDT-RR).

No dia 9 deste mês, o relator apresentou parecer favorável à admissibilidade do processo contra Delcídio. O senador é acusado de quebra de decoro parlamentar.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.