Tamanho do texto

Em discurso no início da tarde desta terça-feira (21), presidente reafirma que rivais tentam aplicar golpe contra governo federal

Dilma Rousseff durante discurso no Palácio do Planalto nesta terça-feira (22)
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 22.03.16
Dilma Rousseff durante discurso no Palácio do Planalto nesta terça-feira (22)

Em novo discurso duro contra a oposição que tenta derrubá-la do governo, a presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta terça-feira (22) que "jamais" renunciará ao cargo e voltou a comparar sua cada vez mais fragilizada situação no Planalto a uma tentativa de golpe tramada por seus adversários. 

"A estratégia que parte das oposições é uma atitute anti-republicana e anti-democrática por tentar acabar com o meu mandato votado pelo povo brasileiro. Eu de fato jamais imaginei algo assim depois da ditadura. Eu preferia não viver este momento, mas que fique claro que me sobram energia, disposição e respeito à democracia para enfrentar essa onda anti-democrática que ameaça o País", afirmou a presidente.

Após encontro com juristas na manhã desta terça, Dilma voltou a afirmar que não renunciará "em hipótese alguma" e se defendeu da ameaça de impeachment, afirmando que isso seria uma "injustiça brutal".

"O impeachment é um instrumento previsto em nossa Constituição pra afastar o presidente desde que haja crime de responsabilidade comprovado. Eu dirijo-me a vocês com a consciência tranquila de não ter cometido qualquer ato ilícito. Condenar alguém por um crime que não praticou é a maior violência, é uma injustiça brutal."

Dilma Rousseff e José Eduardo Cardozo participaram de encontro com juristas nesta manhã
Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo - 22.3.16
Dilma Rousseff e José Eduardo Cardozo participaram de encontro com juristas nesta manhã


    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.