Tamanho do texto

Ex-líder do Senado fez revelação durante acordo de delação premiada, em que também citou Dilma, Lula e Aécio Neves

Estadão Conteúdo

Delcídio do Amaral foi preso na Lava Jato acusado de obstruir as investigações da operação
Charles Sholl/Futura Press - 09.07.15
Delcídio do Amaral foi preso na Lava Jato acusado de obstruir as investigações da operação

Em acordo de delação premiada, o senador Delcídio do Amaral (MS) revelou que os ministros do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Antônio Palocci (Fazenda), Erenice Guerra (Casa Civil)  e Silas Rondeau (Minas e Energia) formaram um triunvirato para desvio de recursos das obras da usina de Belo Monte.

A delação de Delcídio, que foi afastado do PT após sua prisão, foi firmada com a Procuradoria-Geral da República. O ex-líder do governo no Senado citou em depoimento a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Em decorrência das irregularidades investigadas, o senador vai ter de pagar uma multa de R$ 1,5 milhão, que poderá ser dividida em 10 parcelas. O valor consta de seu acordo de delação premiada, homologado pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Delcídio foi solto em 19 de fevereiro, após ter ficado quase três meses na prisão, acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. Parte do conteúdo da deleção, mantida em sigilo, foi revelada pela revista "IstoÉ" em 3 de março.