Tamanho do texto

André Gerdau se apresentou na Superintendência da Polícia Federal nesta tarde; grupo teria atuado no Carf para evitar o pagamento de multas que chegam a R$ 1,5 bilhão

André Gerdau deve prestar esclarecimentos sobre suspeitas a respeito de atuação ilícita no Carf
Leonardo Benassatto/Futura Press - 25.2.16
André Gerdau deve prestar esclarecimentos sobre suspeitas a respeito de atuação ilícita no Carf

O presidente do Grupo Gerdau, André Gerdau, apresentou-se na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, no bairro da Lapa, por volta no meio da tarde desta quinta-feira (25). Ele chegou acompanhado de um advogado. Nenhum deles quis se pronunciar.

Gerdau é investigado na sexta fase da Operação Zelotes. Foi decretado mandado de condução coercitiva do empresário – quando a pessoa é levada à delegacia para prestar depoimento e, em seguida, é liberada.

A Zelotes investiga fraudes em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda. A suspeita é que o grupo Gerdau tenha atuado no Carf para evitar o pagamento de multas que chegam a R$ 1,5 bilhão.

A siderúrgica investigada tem operações industriais em 14 países e celebrou contratos com escritórios de advocacia e de consultoria, os quais, por meio de seus sócios, “agiram de maneira ilícita, manipulando o andamento, a distribuição e decisões do Carf, visando a obter provimento de seus recursos e cancelamento da cobrança de tributos em seus processos”, segundo a denúncia.