Tamanho do texto

Ainda faltam 9 pedidos a serem apreciados. Presidente da Câmara acredita que concluirá esse trabalho em 10 ou 15 dias

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, rejeitou mais dois pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Ainda faltam 9 pedidos a serem apreciados. Ele acredita que vai concluir esse trabalho em 10 ou 15 dias.

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha fala com a imprensa
Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil - 21.9.15
Presidente da Câmara, Eduardo Cunha fala com a imprensa

Os três primeiros pedidos rejeitados pelo presidente da Câmara foram publicados na edição de quarta-feira (30) do Diário da Câmara dos Deputados. Outros dois foram publicados na edição desta sexta-feira (2).

As decisões de Cunha que indeferem pedidos de impeachment, cabe recurso ao Plenário da Câmara, que pode ser apresentado por qualquer deputado, no prazo de cinco sessões.

Pedaladas fiscais

Segundo a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara, outros 9 pedidos ainda aguardam a decisão de Cunha. Os partidos de oposição apoiam, sobretudo, a denúncia encaminhada pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr., baseados nas chamadas "pedaladas fiscais" e em fatos do anterior e do atual mandatos da presidente Dilma.

Já os partidos governistas se amparam, entre outros argumentos, em um recente pronunciamento do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Ayres Britto, para quem falta fundamento jurídico que justifique eventual afastamento de Dilma.

Julgamento pelo Senado

De acordo com a Constituição, cabe à Câmara analisar a admissibilidade de pedidos de impeachment de presidente da República, mas a condução de eventual processo e julgamento são responsabilidade do Senado.

    Leia tudo sobre: impeachment