Tamanho do texto

Ex-ministro do Supremo soltou o verbo contra a equipe de Dilma e disse ainda que a "Constituição não autoriza o presidente a 'investir politicamente' contra as leis vigentes"

Joaquim Barbosa, ex-ministro do STF
Divulgação/STF
Joaquim Barbosa, ex-ministro do STF

Joaquim Barbosa, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, criticou a equipe de Dilma Rousseff logo após a declaração da presidente sobre delação premiada. Dilma afirmou em entrevista durante visita oficial aos Estados Unidos não respeitar o recurso que vem sendo usado por investigados na operação Lava Jato em troca de redução de pena.

Leia também: "Eu não respeito delator", diz Dilma

"Eu não respeito delator. Até porque estive presa na ditadura e sei o que é que é. Tentaram me transformar em uma delatora", disse a presidente.

Barbosa usou seu perfil na rede social Twitter para alfinetar Dilma e sua equipe. Segundo ele, delação premiada é um recurso previsto em lei e deve ser respeitado. 

"Há algo profundamente errado na nossa vida pública. Primeiro: nunca vi um Chefe de Estado tão mal-assessorado como a nossa atual Presidente. Assessoria da Presidente deveria ter lhe informado o significado da expressão 'law enforcement': cumprimento e aplicação rigorosa das leis. Zelar pelo respeito e cumprimento das leis do País: esta é uma das mais importantes missões constitucionais de um presidente da República! (...) Nossa Constituição não autoriza o Presidente a 'investir políticamente' contra as leis vigentes, minando-lhes as bases. Caberia à assessoria informar a Presidente que: atentar contra o bom funcionamento do Poder Judiciário é crime de responsabilidade!"

"Reflitamos coletivamente: vocês estão vendo o estrago que a promiscuidade entre dinheiro de empresas e a política provoca nas instituições? Esqueci de dizer: 'colaboração' ou 'delação' premiada é um instituto penal-processual previsto em lei no Brasil! Lei!!!", finalizou Barbosa na noite de segunda-feira (29).

Veja os políticos investigados pela operação Lava Jato:




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.