Tamanho do texto

Em discurso, presidente afirmou que países têm uma longa história de cooperação e integração econômica, e que compartilham uma trajetória de experiências comuns

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (29) que o Brasil quer ampliar as relações com os Estados Unidos, não apenas entre os governos, mas também com as empresas norte-americanas, a sociedade e com a academia. Segundo ela, os Estados Unidos são um dos parceiros fundamentais do Brasil tanto no que se refere ao comércio quanto aos investimentos.

Em discurso no encerramento do Encontro Empresarial sobre Oportunidades de Investimento em Infraestrutura no Brasil, em Nova York, ela disse que o Brasil e os Estados Unidos têm uma longa história de cooperação e integração econômica e compartilham uma trajetória de experiências comuns.

Dilma no Encontro Empresarial sobre Oportunidades de Investimento em Infraestrutura no Brasil
Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma no Encontro Empresarial sobre Oportunidades de Investimento em Infraestrutura no Brasil

Os norte-americanos são os principais investidores estrangeiros no Brasil, com aplicações que somam US$ 116 bilhões em 2013. Três mil empresas dos Estados Unidos atuam no Brasil em áreas como petróleo, gás, energia elétrica, bancos, telecomunicações, atividades imobiliárias, automóveis, metalurgia e agricultura.

As empresas brasileiras têm um estoque de US$ 15,7 bilhões investidos em negócios como alimentação, siderurgia, serviços de informação e produtos farmacêuticos.

A presidente disse que o Brasil tem interesse em parcerias nas áreas de educação, ciência, tecnologia e inovação. E comentou que a visita à Califórnia tem o objetivo de aprofundar contatos em três áreas: tecnologia da informação, biotecnologia e de defesa, sobretudo, aeroespacial.

Dilma ressaltou que o Brasil e os Estados Unidos têm muitas semelhanças. “O Brasil é um país continental como os Estados Unidos; nós temos um grande mercado consumidor; somos uma economia de mercado; temos tradição de transparência; respeitamos contratos; e temos uma institucionalidade bastante forte no que se refere à segurança jurídica”.

A presidente acrescentou que os dois países são sociedades democráticas com instituições sólidas, estabilidade política e respeitam a liberdade de imprensa. Dilma concluiu dizendo que o Brasil considera que todos os grandes investidores, os pequenos e os médios, de todas as regiões do mundo, são bem-vindos.

Dilma viajou para Washington logo depois do discurso. À noite, o presidente Barack Obama oferece um jantar em homenagem a Dilma na Casa Branca. Amanhã (30), a presidente tem um encontro de trabalho com Obama. Na quarta-feira (1º), ela viaja para a Califórnia, onde visita universidades norte-americanas e encontra empresários.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.