Tamanho do texto

A presidente Dilma Rousseff reafirmou no evento que prefere “o ruído e as críticas usuais e normais na democracia ao silêncio imposto ou obsequiosamente aceito nas ditaduras”

Dilma defendeu a liberdade de manifestação para que a sociedade possa se expressar por meio de diferentes mídias
Alan Sampaio/iG Brasília - 21.5.15
Dilma defendeu a liberdade de manifestação para que a sociedade possa se expressar por meio de diferentes mídias

A presidente Dilma Rousseff defendeu a liberdade de expressão “em todas as suas formas, em todas as suas possibilidades e [em] todas as suas nuances”. Dilma participou, na quinta-feira (25), no Rio de Janeiro, da abertura de evento em comemoração do Dia Internacional da Academia das Artes e Ciências Televisivas, no hotel Copacabana Palace.

“Liberdade de manifestação para que a sociedade, as pessoas, os cidadãos possam expressar e possam se expressar, por meio das diferentes mídias, seus projetos, seus desejos, suas esperanças e seus interesses, sem qualquer censura do Estado e também sem qualquer bloqueio de natureza econômica”, ressaltou Dilma.

Leia mais:  Dilma anuncia financiamento de R$ 747 milhões para combater crise de água em SP

Bate boca na Câmara: “A presidente não merece mandioca, merece banana, um tchau”

Governo Dilma enterra projeto de regulação da mídia

Ela disse que no Brasil a liberdade de imprensa é garantida e que prefere “o ruído e as críticas usuais e normais na democracia ao silêncio imposto ou obsequiosamente aceito nas ditaduras”. A presidente argumentou que o exercício da liberdade de expressão requer a garantia de espaço, em todas as mídias, “sem censura ou autocensura”, para o debate sobre os direitos e avanços da civilização, como o respeito à diversidade.

“As empresas de mídia, sobretudo as redes e emissoras de rádio e televisão, assim como os produtores de conteúdo na internet e os veículos impressos, têm um papel fundamental a desempenhar na construção de uma agenda de diversidade, de respeito aos direitos individuais e humanos, de melhoria de vida e de justiça social”, disse a presidenta.

No discurso, Dilma também destacou as políticas do governo de estímulo a produção audiovisual no País e a transformação do marco civil da internet em lei, para defender a “liberdade de expressão, a privacidade e a neutralidade da rede”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.