Tamanho do texto

Documento foi protocolado na Justiça Federal do Paraná. Instituto Lula nega que autoria seja do ex-presidente

Um pedido de habeas corpus preventivo protocolado na tarde desta quarta-feira (24) na Justiça Federal no Paraná pede que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seja preso preventivamente na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O pedido foi protocolado às 16h20 e indica uma possível decisão do juiz federal Sergio Moro, que coordena a força-tarefa.

Leia mais:

Operação que investiga Pimentel cumpre mandados

Ex-presidente Lula participa de congresso do PT em Salvador
Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
Ex-presidente Lula participa de congresso do PT em Salvador

O pedido de habeas corpus foi impetrado por Mauricio Ramos Thomaz, um homem que se apresenta como consultor.

Leia: Consultor pediu habeas corpus preventivo para Lula

O Instituto Lula pretende divulgar uma nota nas próximas horas sobre o assunto e informou que Lula não é investigado na operação Lava Jato.

De acordo com o instituto, qualquer pessoa poderia entrar com o pedido, tanto no intuito de proteger Lula ou mesmo como provocação.

Veja também:

Caiado diz que soube de pedido de habeas corpus para Lula através de advogado

Alberto Youssef diz que repassou propina a deputado petista

Mais cedo, a divulgação do pedido foi feita pelo senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), em sua conta no Twitter. De acordo com a assessoria de Lula, a atitude do senador da oposição parece estranho.

Ao postar uma foto do protocolo do documento, registrado no sistema da Justiça Federal, caiado comentou: Temendo ser preso pelos malfeitos que cometeu – disso ninguém mais duvida – Lula apresenta habeas corpus preventivo.

Nota oficial Instituto Lula

Esclarecemos que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não entrou com o pedido de habeas-corpus impetrado em Curitiba, no dia 24/6/2015. Lembramos que esse tipo de ação pode ser feito por qualquer cidadão. Fomos informados pela imprensa da existência do Habeas Corpus e não sabemos no momento se esse ato foi feito por algum provocador para gerar um factóide.

O ex-presidente já instruiu seus advogados para que ingressem nos autos e requeiram expressamente o não conhecimento do Habeas Corpus.

Estranhamos que a notícia tenha partido do Twitter e Facebook do senador Ronaldo Caiado.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula


    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.